Durante o Anúncio dos times do CBLOL tivemos uma surpresa para todos: A KaBuM Black colocou uma menina como reserva. Pera ai? Por que isso é uma surpresa?

Bem, não tivemos até hoje uma mulher inscrita no CBLOL e a Revy é a primeira! Não é só olhando o universo do League of Legends mas sim o E-Sport em Geral. O esporte eletrônico é um esporte onde a maioria dos jogadores são homens (E uma maioria que chega perto de ser TOTALIDADE).

A inscrição de uma jogadora por parte da KaBuM Black foi algo que puxou os olhos de todos os amantes do E-Sport.

Revy no Competitivo

“Ah, mas ela é apenas uma reserva…”

Não importa. Revy chegou e provou: Se ela chegou ai, qualquer outra mulher que sonha em virar uma jogadora profissional pode chegar lá também.

O League of Legends é um jogo onde não tem essa de modalidade feminina e masculina e a Revy veio para vencer o preconceito e realmente quebrar o Tabu. Antes de ser uma jogadora profissional a Revy é uma jogadora Challenger. Ela chegou no rank mais alto da soloQ e precisará treinar bastante para se adaptar ao competitivo. Ela já falou que o treinador Jukaah está ajudando bastante ela nessa questão.

Leia: Após as Lágrimas, aonde está o Competitivo Brasileiro?

Leia: Leko, uma aposta necessária! 

Eu consegui fazer algumas perguntinhas rápidas para a jogadora. Vamos lá?

Bate Papo Rápido com a Revy

LOLNEWS: Revy, o fato de você ser a primeira menina inscrita em um Campeonato Oficial da Riot Games no Brasil é algo que realmente “Virou Notícia”. Como você tem lidado com essa pressão e assédio que surgiu do dia pra noite?

Eu acho que estou conseguindo lidar bem, até agora a pressão em si é bem razoável e o assedio é no bom sentido, a maioria me recebeu muito bem e eu acho que isso deixou as coisas bem mais tranquilas pra mim.

LOLNEWS: Revy, os torcedores que acompanham a KaBuM Black conseguiu ver que você tem uma relação bem legal com o Time. Uma das grandes coisas comentadas e questionadas sobre ter uma menina em um time profissional é a questão da Convivência. Você consegue se imaginar vivendo em uma Gaming House com mais 5 ou 6 homens?

Sim, sem problemas, particularmente eu acho todos os garotos bem maduros nessa questão, nós somos amigos, sinceramente acho que seria muito divertido e útil essa experiência de morar mesmo com eles, não vejo problema nenhum.

LOLNEWS: Muitas meninas tem também o sonho de ser uma jogadora profissional e muitas vão desistindo aos poucos, até mesmo as jogadoras High Elo. O que você falaria para as jogadoras que sonham em ser profissionais?

Se é isso que você quer, corra atrás. Diria para elas não se importarem com o que os outros dizem de você, preocupe-se com o que você pode controlar apenas, se você encher sua cabeça de coisas incontroláveis como o pensamento e julgamento alheio, você não terá espaço para raciocinar e agir de forma certa nas coisas que realmente dependem de você e suas escolhas.

Diferente da polêmica dos selecionados da BEHIVE, Revy teve um apoio gigantesco da comunidade e todos estão reconhecendo o seu potencial e talento.

Ela já visitou o estúdio do CBLOL e disse no #SemDodge (Clique Aqui para ver) que se imagina jogando lá!

Esperamos que a Revy seja apenas a primeira de muitas mulheres a se destacar no League of Legends. Será que ela jogará ainda nessa etapa do CLBOL?

Deixa a sua opinião nos comentários e antes disso.. que tal ver os melhores momentos da Revy em uma partida com o seu Thresh?

Leia: Após as Lágrimas, aonde está o Competitivo Brasileiro?

Leia: Leko, uma aposta necessária!