Hoje estou fazendo um artigo um pouco diferente do normal,devido a um projeto que “fez algum barulho”, porém mais negativamente que positivamente: o anúncio da Line Up da Behive.

Quem não soube, a Behive é um projeto capitaneado pelo Necro, um dos grandes coaches do League of Legends, que apresentou um projeto para recrutar jogadores de alto nível, precisando de polimento, e, lapidando, formar um time a partir deles. O projeto teve um gigantesco hype, pois era uma companhia séria, e teria uma disputa aberta e ilimitada, em que todos teriam a chance de vencer.

Clique Aqui Para Ler sobre a INTZ rumo ao Topo!

behive

O anúncio foi feito domingo, com os seguintes nomes:

Adailton Kalysson “Kaaly” Dahmer Mota
Anna “ChiszenLIVE” Aurili
Bruno “Hi Im Cacetinho” Di Franco de Oliveira
Daniel “Lontra” Albuquerque
LontraDerick “Numbby” Rick Rodrigues de Souza Lima
Fábio “COKEEEE” Alcarpe Coda
Gabriel “Von is coming” Barbosa Muniz Leite
Lívia “Liith” Rodrigues
Raphaela ”QueenB” Laet
Ruan “puporr4uga” da Fonseca Ramos
Necro disse que iria escolher jogadores de nível proximo ao alto, e quando escolhidos, ficaram as outras pessoas um pouco decepcionado em ter vários nomes conhecidos de forma negativa, considerados ragers, péssimos jogadores, péssimos companheiros de equipe, ou inúmeros outros termos pejorativos que rapidamente se espalharam pela internet.

Clique Aqui Para Ler sobre a INTZ rumo ao Topo!

Gostaria de tentar dar uma outra visão, um outro ponto sobre a possibilidade de ascensão desse time, especialmente no que diz respeito a alguns dos nomes, e também no que diz respeito ao projeto em si.

Vários de vocês hoje buscam, ao observar um time, ou procurar algum jogador para se identificar, procurando jogar similarmente, como Kami e BrTT que são exemplos brasileiros, e também exemplos estrangeiros como Bjergsen, Faker, ou vários outros. Esses todos possuem características que os tornam referências para o seu público.
Nessa linha de raciocinio, o projeto do Necro é audacioso, e busca muito mais treinar os próximos grandes jogadores, e não fazer que “amanhã o time seja bom”, e dentro deles, o marketing pessoal de alguns desses jogadores pode ser interessante para o time, pois ter o desafio de ser um jogador, com um coach correto, pode ser uma importante funcionalidade para estas pessoas, especialmente as meninas.

Eu, pessoalmente, gostei muito do fato de meninas estarem presentes da forma que estiveram. A escolha da Lilith, sem dúvidas, para mim, a melhor jogadora do League brasileiro, pode ser a ponta de interesse para um futuro próximo. Há tambem outras, como a QueenB e a Chiszen (como jogadora conheço apenas a segunda), e acredito que ambas poderão ter uma evolução.

Qualquer derrota deste time será de tremendo impacto, pois o modo como tudo ocorreu trouxe um peso para todos os jogadores, que a cada derrota terão uma difícil missão social, devido a avalanche de críticas que fatalmente ocorrerão a cada derrota.

Tenho certeza que a longo prazo, o time poderá dar certo, mas deve se lembrar especialmente que são 10 jogadores, e que poderá haver uma balanceada e um equilíbrio entres os times, com uma possível troca de players entre as 2 lines em caso de um jogador ou outro não atender as expectativas. Pode-se usar a outra line como chance secundária, ou ainda treinar outras lanes (quem sabe).

Espero que este time consiga alcançar seus objetivos. Torço muito por eles, e tenho certeza que poderão trazer um interessante ponto ao cenário e-sport, mesmo que seja, primariamente, Tier2 no início. Tenho certeza que com o correto ponto de vista, e o correto treinamento, o Necro terá um time no mínimo interessante na mão. Ele só precisará blindar o seu time e a si, pois com sua polêmica escolha, ele trouxe uma tonelada de críticas, que, como espero, serão silenciadas com trabalho duro, tempo e sucesso, e assim alcançarão seus objetivos. Mas… ainda haverá muito caminho e muita lama.

Boa sorte Behive!
Boa sorte Necro!