- Publicidade -

Um dos temas mais polêmicos envolvendo o League of Legends são os diversos balanceamentos que a Riot faz todas as semanas. É claro que é impossível agradar todos os jogadores, mas muitas das ações da empresa acabam virando assuntos de discussões na comunidade.

O rioter Scruffy, líder da equipe que cuida da jogabilidade do LoL, comentou um pouco sobre como funciona a estratégia de balanceamento. Ele comentou que o jogo é dividido em várias camadas, essas que são os níveis de habilidade de seus jogadores, então a forma com que ele funciona em cada uma dessas “é totalmente diferente, seja em termos de campeões ou de estratégias usadas”, comentou o designer. Ele continuou dizendo que por isso é impossível balancear todos os 148 campeões para que fiquem equilibrados em todas essas camadas.

Ele continuou falando que a forma com que a equipe de balanceamento trabalha é dividindo o jogo em quatro níveis que eles acham que o equilíbrio é significativamente diferente. Esses níveis são:

Normal (Ferro até o Ouro)
qualificado (Platina até o Mestre)
Elite (Grão-Mestre até o Desafiante)
Profissional

Com isso em mente, eles buscam garantir que um campeão esteja viável em pelo menos um desses níveis, mas que não seja “quebrado” em nenhum deles. “O principal raciocínio por trás disso é que achamos que um campeão muito forte pode suprimir a viabilidade e riqueza de todo o meta do jogo, então queremos proteger jogadores de todos os níveis de habilidade desse estado do jogo desequilibrado”, finalizou.

A estratégia mais recente que tomará nerfs será a do uso da campeã Soraka na rota do topo e inferior (como ADC). A campeã chegou a 56% de winrate e até apareceu na LEC, sendo escolhida pela G2, mas um rioter já deixou claro que o kit dela deverá “tomar nerfs bem pesados” em breve.

Veja também: Jogadores da Falkol denunciam cancelamento de treino em cima da hora