A CNB vive uma de suas maiores crises no CBLOL. Gustavo “Minerva” Queiroz, jungler da equipe, não atua desde o anúncio do europeu Benjamin “Visdom” Ruberg na equipe.

A organização informou em sua página do Facebook que Minerva foi afastado devido à problemas internos e pessoais. No mês passado, a equipe afastou Thiago “TinOwns” Sartori por indisciplina e uma semana depois, o top laner Pedro “Lep” Marcari revelou que Tin havia pedido para ser afastado da equipe.

Desde a quarta rodada do CBLOL, Minerva não vem comparecendo ao estúdio. O jogador não esteve lá com a equipe durante a semana 4,5 e 6 do CBLOL. Como vem sempre informando o Mais e-Sports em seu Twitter. 

O Mais e-Sports entrou em contato com Minerva, mas o jogador preferiu não falar nada sobre o seu afastamento do clube.

Foto: Riot Games

Campeão Brasileiro pela KaBuM, Minerva começou a atuar na selva ainda pela sua antiga equipe. Jogando pela CNB, o jogador foi vice-campeão do segundo split de 2016.

Em 2017, os blumers não tiveram bons resultados. Após liberar Hugo “Galfi” Garcia e investir em uma comissão técnica estrangeira com a contratação de Joseph “Strong” Edwards e Jang-Sik “Lustboy” Ham, a equipe conseguiu perder 5 séries seguidas, desapontando toda sua torcida.

Para a série contra a TShow, a CNB optou por Pedro “Gafone” Ramos no lugar de Strong durante o Draft no palco dos estúdios da Riot Games. Outra surpresa, foi a ausência de Visdom no estúdio.

Os problemas da CNB não terminam aqui. Neste domingo (16) a Riot Games anunciou uma multa de 1500 reais para Guilherme “Vash” Del Buono, o atual jungler teve uma postura tóxica durante a soloQ. Em entrevista ao Mais e-Sports, o diretor da CNB revelou que não haveria outra punição por parte do clube e apenas uma advertência interna.