- Publicidade -

Anunciado em 2019, o “Project A” é o FPS que a Riot está desenvolvendo para ser lançado ainda este ano. A empresa mostrou um pequeno trailer e falou pouco sobre o jogo, mas nesta terça-feira (11) muitas figuras públicas ligadas ao FPS revelaram que foram testar o título em 2018, a convite da própria empresa. Entre esses está o Gaules, que fez parte do grupo de primeiros brasileiros a testar o jogo (sem contar os funcionários).

O streamer e ex-jogador profissional de CS fez uma live onde comentou vários pontos do jogo, inclusive sobre uma mecânica interessante que a “Bomba” do jogo possui. O chat havia perguntado se havia muitos clutchs (situações decisivas em que um jogador está contra 2 ou mais adversários e consegue a vitória) no Project A. Gaules afirmou que acontece sim muitas situações do tipo e contou sobre uma situação que aconteceu durante os testes.

De acordo com ele, uma situação comum no CS é você começar a desarmar a bomba, no meio do processo ter que parar para matar alguém e quando volta para desarmar, tem que reiniciar todo o processo, por isso muitas vezes você perde o round simplesmente por não ter tempo suficiente para iniciar todo o desarme novamente. “O Volcano (um dos desenvolvedores) fez um 1×3 insano e eles não haviam explicado isso pra gente. Ele sobrou 1×3, matou um cara, clicou e começou a defusar o dispositivo, ai ele parou de defusar e matou outro cara. Neste momento eu pensei ‘mano não vai dar muito tempo’, ai ele deu uma clicadinha de leve, apareceu outro cara e ele matou. Quando eu olhei o dispositivo, estava na metade do tempo que precisava, ai ele terminou e conseguiu vencer. Eu olhei e pensei ‘mano que merda é essa'”, comentou Gaules.


Foi então que o Volcano explicou como funciona a mecânica do dispositivo no Project A. De acordo com ele, a equipe pensou em um sistema que após o tempo de desarme passar da metade, ele fica salvo, então você pode parar de desarmar para criar alguma jogada e depois voltar sem muitas chances de perder o round por falta de tempo. Gaules O desenvolvedor explicou que quando você está desarmando alguma coisa, o trabalho feito não é perdido, por isso eles pensaram neste sistema.

Gaules finalizou falando que isso abre um “mundo de jogadas muito louco e quem pensou nisso foi alguma pessoa que jogou CS por muito tempo, para pensar quantas jogadas poderiam ter sido feitas por isso”.

Volcano é um ex-jogador profissional de CS e foi o responsável pelo desenvolvimento do mapa “Cache”, no jogo. Agora ele integra a equipe da Riot para produzir o jogo Project A.

Veja também: Primeiros detalhes sugerem jogo free-to-play e compra de habilidades