Campeão do Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLoL), o caçador Diogo “Shini” Rogê está prestes a viajar para o Vietnã. Lá, junto com seus companheiros da INTZ, disputarão a etapa de entrada do Mid-Season Invitational.

Normalmente seed 1, a região brasileira foi rebaixada para o seed 2 devido às últimas performances internacionais. No entanto, para Shini, isso não afetará os objetivos dos intrépidos.

“O objetivo é o mesmo, independente se fôssemos seed 1 e seed 2. As campanhas passadas não foram boas, mas temos que fazer o nosso se quisermos passar. Precisaremos ganhar de todo mundo, já que só passa o primeiro do grupo, então creio que questão de seed não influencia muito para a gente”, disse em entrevista ao Mais Esports.

Um dia após a final, o elenco que irá para o MSI foi definido. Sem o experiente argentino Matías “WhiteLotus” Musso, o reserva escolhido foi o suporte Emerson “BocaJR” Alencar. A decisão levantou diversas discussões entre o público do cenário, que questionou essa escolha.

Essa reação negativa, no entanto, não afetará os jogadores. “O Mills não se afeta assim tão fácil, porque ele sabe o valor dele. O que o público não sabe é que existem diversas coisas fora de jogo. Por exemplo, o RedBert não comunica muito, então ao jogar com ele e o WhiteLotus no bot, o jogo ficava muito difícil porque ficávamos sem um shotcaller”.

“Ter o Mills ajuda bastante na comunicação, porque auxilia bastante o time inteiro a rodar. É como se fosse uma engrenagem, que quando colocamos ele, faz todas as outras rodarem juntos. O pessoal não sabe disso porque não vê comunicação, não vê como é dentro do time, só vê performance e placar. Infelizmente, não conseguimos corrigir essa questão com o WhiteLotus. Então, essa é a melhor line-up para o momento”, continuou Shini.

Embora a INTZ tenha batido os rubro-negros na final, há quem ainda acredite que o Flamengo teria melhor performance internacional. Isso, para Shini, “pode ser um ânimo à mais, igual foi na final, onde todos acreditavam em um 3×0 para o FLA”.

“A adversidade faz parte do nosso trabalho, então, temos que lidar bem com isso. Então, vamos tornar isso em uma maior motivação e provar todo mundo o contrário”.

Final do CBLoL

Em uma MD5 definida nos detalhes, a INTZ se consagrou campeã. Embora tenham realizado uma ótima partida dentro do servidor, fatores externos parecem ter influenciado nesse resultado. Um exemplo disso foi o psicológico, área na qual, com ajuda de psicóloga, os intrépidos se fortaleceram.

“Nós temos o apoio da nossa psicóloga ‘Nat’, que é realizado diariamente. Nosso time também já passou por diversas situações ruins, várias MD5 valendo muita coisa, muitos 3×2. Então, já estamos acostumados. Já o Flamengo não teve isso, eles praticamente ganharam o split todo, o Shrimp também. Então, creio que isso pode ter afetado o Flamengo sim”, finalizou.