A ESIC (Esports Integrity Coalition), órgão que ficou responsável por julgar o caso envolvendo a utilização de hack em um evento presencial na China do jogador indiano Nikhil “Forsaken” Kumawat, deu seu veredito sobre o assunto na tarde dessa quarta-feira (24). A organização decidiu banir Forsaken de qualquer atividade relacionada a algum torneio de Esports que seja parceira da ESIC por um período de 5 anos.

O jogador havia sido pego na semana passada utilizando um hack no torneio Zowie eXTREMESLAND em Shangai, na China. Logo em seguida a ESL India abriu uma investigação para ver se o mesmo havia ocorrido em seus torneios, e a organizadora também detectou que Forsaken havia usado o mesmo programa malicioso durante seu próprio evento, a ESL India Premiership.

A ESL India encaminhou a denuncia para a ESIC, que foi contrária aos apelos populares de banir o jogador para sempre de torneios parceiros, e decidiu por dar uma sentença de 5 anos, tendo em vista que suas outras infrações haviam sido de níveis baixos. Forsaken tem 48 horas para recorrer da decisão.

O comissário da ESIC, Ian Smith, comentou o caso:

“É sempre muito triste quando algo assim acontece nos Esports, mas esse caso é particularmente triste porque já havíamos demonstrado consideração e compaixão por Forsaken em outros casos dele. Além disso, ele causou muitos danos ao cenário indiano de CS:GO e Esports no general, e desvalorizou toda uma região. Não existe espaço para cheaters como Forsaken nos esports e eu pessoalmente espero nunca mais ver ele no Counter Strike ou em qualquer outro Esport.”

O jogador também comentou sobre o ocorrido e pediu desculpas para todas as pessoas envolvidas:

“Não houve pressão de qualquer lugar, era tudo sobre mim querer ganhar todos os jogos, querendo ser perfeito em todos os aspectos do jogo. Eu estava confiante nas minhas decisões, no meu entendimento do jogo, etc., mas nunca fui confiante no meu objetivo, então para compensar essa falta de confiança eu tive que escolher o caminho errado.

“Sinto muito pelos meus colegas de equipe, pelo gerenciamento da OpTic e pelas pessoas que sempre confiam em mim sobre os fatos”, comentou o ex-jogador.

Após a repercussão do caso, a OpTic Gaming decidiu desligar imediatamente todos os jogadores do time ligados a organização.