O campeonato eXTREMESLAND, que acontece em Shanghai, teve uma situação desagradável nesta quinta-feira (19). O jogador Nikhil “forsaken” Kumawat, da OpTic India, foi pego usando hack no meio do evento presencial e sua equipe foi automaticamente eliminada da competição.

A OpTic jogava contra a RevolutionVN e precisava da vitória para continuar viva na competição, já que havia perdido suas duas últimas partidas, porém durante o último mapa, o anti-cheat da organização acabou acusando algum programa estranho no computador do jogador. Quando os juízes foram verificar, o jogador tentou impedir e excluiu o programa rapidamente.

A organização do campeonato conseguiu recuperar o arquivo deletado mas não conseguiu executá-lo, porém com toda a reação do jogador não restaram dúvidas de que o mesmo estava trapaceando na partida.

Foto retirada pelo usúario @liuxinwei0102

Um clipe retirado do jogo de sua equipe contra a REvolitionVN está circulando nas redes sociais, onde mostra algumas atitudes bem suspeitas do jogador, onde onde sua mira fica ‘cravada’ automaticamente para um dos jogadores que defendia o Bomb A.

O caso vai mais além quando em uma investigação, a ESL India descobriu que o jogador tinha uma conta na Steam que foi banida por uso de hack. O jogador afirmou que essa conta não o pertencia mais quando foi banida, porém a empresa alegou que isso era mais uma violação do jogador, já que a venda ou compartilhamento de contas é proibida.

“Sob as regras de ESL, Forsaken deve cumprir pelo menos 2 anos da proibição antes de ser potencialmente elegível para jogar novamente nos torneios de ESL. Ele também terá que cumprir um banimento permanente conforme VALVE por trapacear por ter uma conta VAC”

Ian Smith, comissário da ESIC, também deu uma declaração sobre o caso.

“A questão de se o jogador trapaceou ou não para ganhar o banimento VAC é irrelevante. As regras da Valve e da ESL deixam muito claro que o proprietário da conta (que não pode ser transferida ou vendida) é a pessoa a quem a proibição se aplica. Sob as regras da ESL, os Forsaken devem cumprir pelo menos 2 anos da proibição antes de serem potencialmente elegíveis para jogar novamente nos torneios da ESL”

Em declaração para a HLTV, Jesal Parekh (diretor da equipe) disse que a organização não tolera esse tipo de atitude e que o jogador já foi retirado da equipe. Jesal também afirmou que os companheiros de forsaken não sabiam do caso.