Após sofrer a primeira derrota em uma final de Mundial, a SK Telecom T1 não conseguiu fazer um bom Split na LCK 2018 e, pela primeira vez, ficou de fora do Mid Season Invitational e o peso da derrota para a Samsung Galaxy parece ter afetado a todos, inclusive Lee “Faker” Sang-hyeok, o “Unkillable Demon King”. Em entrevista, o jogador comentou a performance de sua equipe na LCK, a derrota no Mundial, seu estado emocional, futuro e outros assuntos.

A primeira temporada da LCK não foi muito boa para a SKT. A equipe conseguiu sua classificação para os playoffs apenas na última rodada da competição, porém viu o sonho do título se desmanchar após a derrota para a KT Rolster na segunda rodada da fase escalada. Faker  falou sobre não conseguir a classificação para o MSI (fato inédito desde a criação do torneio) e também sobre este primeiro Split da LCK 2018.

“Eu acabei não sendo capaz de ir para o MSI este ano. Então, ao contrário do ano passado, eu me preparei para o próximo Split antes do “normal”. Eu também passei muito tempo pensando, sozinho, tentando descobrir  o melhor caminho para alcançar o sucesso. Não é estranho que eu esteja em tal posição no momento, mas não parece ótimo que outro time esteja no topo. Acho que pode-se dizer que isso afetou meu orgulho como jogador.

Tudo estava bem até o Round 1 da LCK, depois as coisas ficaram mais complicadas. No entanto, pessoalmente, eu aprendi muito com esse Split, em vez de apenas me concentrar em questões dentro do jogo eu também prestei atenção no meu estado psicológico, foi um momento muito valioso para mim. Agora estou procurando maneiras de resolver isso e ver se consigo manter um bom estado de espírito depois .“

Neste Split da LCK, Faker teve performances fora do que os fãs esperam ver do melhor jogador da história. Erros que não são comuns para nenhum jogador profissional, mortes enquanto tentava voltar para a base entre outras coisas, fizeram com que o mid-laner recebesse muitas críticas durante essa temporada.

“Eu montei um grande feedback pessoal em relação aos meus recalls falhados durante o primeiro Split de 2018. Enquanto procurava as razões do “por que”eu tive meus recalls tão frequentemente interrompidos, eu não cheguei simplesmente à simples conclusão de que eu estava tentando dar recalls em áreas perigosas, em vez disso, eu consegui ver vários lados diferentes da situação. Talvez eu não estava prestando atenção suficiente para o jogo? Se assim for, eu deveria! Eu fiz vários compromissos para um melhor desempenho no futuro.

Junto comigo, todos da equipe se revezaram com um desempenho ruim, então não acho que a mudança na line-up da SKT seja a culpa aqui. Acho que o maior problema foi que não tínhamos um laner com bom potencial de carry. Todos os problemas se juntaram, formando problema maior ainda, então eu acho que é por isso que nós tivemos um desempenho ruim.”

Faker sempre foi um jogador que usava todas as críticas para se motivar e sempre dar a volta por cima, porém desta vez a situação parece estar um pouco diferente, como se ele estivesse com algum tipo de “medo” de acreditar nos comentários negativos da comunidade.

“Hoje em dia eu parei de visitar a comunidade do LoL, porque acho que é inútil. No passado, ler comentários me ensinou e motivou, mas agora, no meu estado atual, lê-los pode realmente me fazer acreditar no que as pessoas estão dizendo. Todo mundo quer fazer melhor do que todo mundo, então eu não saio do caminho procurando por uma fonte de inspiração ou motivação. Muitas pessoas tiram conclusões precipitadas, dizendo que os jogadores  que ganharam muitos jogos não tem motivação, para mim, ganhar todos os jogos é importante e não apenas ganhar um título, por isso estou constantemente motivado para fazer o meu melhor.

Nós sempre nos preparamos completamente até 2017. mas nesta temporada, nós nos preparamos de forma mais solta, fizemos isso no palco também, o que acabou não trazendo bons resultados, então eu acho que é por isso que nossos fãs estavam preocupados. Pessoalmente falando, acho que ter feito essas mudanças na maneira como praticamos e vivenciamos nos ajudou de algumas maneiras. Você precisa olhar para frente como jogador profissional e experimentar várias coisas antes do tempo.

Fiz o meu melhor para não prestar atenção aos comentários negativos, porque como jogador, você pode vir a acreditar neles e perder a confiança. Mesmo se você acabar lendo esses comentários negativos, e eles parecerem verdadeiros, você precisa fazer o seu melhor para se manter positivo e confiante. Apesar de estarmos em pior estado do que em 2014, eu já experimentei e superei dificuldades antes, então eu vou precisar fazer o meu melhor para o restante desta temporada  e para que não tenhamos o mesmo fim de 2014. “

A final do Mundial 2017 proporcionou uma cena que ficará marcada na história dos eSports: O choro do Faker após perder seu primeiro Mundial. A cena acabou comovendo os fãs do mundo todo, já que o jogador não costuma demonstrar tanto o seu lado “humano”, e sempre que o faz, é com a felicidade de vitórias que até então era a única coisa que os fãs esperavam do jogador.

“Não chorei no ano passado (Risos). Foi ao ar ao vivo… o bloco de notas abriu sozinho, eu não o abri para cobrir  a tela de derrota ou qualquer coisa assim como alguns fãs assumiram. Naquela época, fiquei comovido com a quantidade de apoio que os fãs me deram através do SNS. Mas as emoções são espontâneas, então não consigo expressar claramente o que senti naquele momento. Mas esse apoio realmente me ajudou.”

Muitos fãs especularam que Faker teria aberto o bloco de notas para tampar a tela de derrota em seu computador. Foto: Riot Games

“Para quase todo mundo, não pareço uma pessoa fora do comum. Tenho certeza que os outros jogadores profissionais se sentem da mesma maneira. Nunca tentei me afastar do meu horário e hábitos habituais e fiz o melhor que pude para ter cuidado com assuntos delicados que podem parecer inadequados. Eu sempre tento o meu melhor para ficar dentro dos limites estabelecidos e respeitar as regras. No entanto, às vezes durmo demais e geralmente chego atrasado para o trabalho. (Risos) Além disso, eu xingo de vez em quando – mas não muito – eu estou até xingando um pouco atualmente. (Risos)”

Uma discussão que voltou há tona a alguns meses atrás foi sobre o salário do jogador. Hong “YellOw” Jin-ho, ex-jogador profissional de Starcraft II revelou que o salário do mid laner pode chegar a até 5 milhões de dólares por ano. Outro rumor que acabou se espalhando foi de que mesmo recebendo milhões por ano, Faker recebia uma espécie de “mesada” de seus pais. O jogador esclareceu essas questões, comentou sobre seu futuro e até sobre casamento.

“Eu não recebo mesada, eu carrego um cartão mas raramente gasto dinheiro e meus pais cuidam das minhas finanças para mim. Eu me sentirei bem se houver muito dinheiro no banco quando eu me aposentar, porque vou precisar dele para o que eu quiser fazer no futuro. Embora eu não tenha decidido o que quero fazer no futuro, continuarei a explorar e descobrir o que eu gosto. Então  vou começar a planejar meu futuro. Eu realmente não tenho um hobby. Embora eu tenha lido livros, li por necessidade e não porque gosto disso. A leitura me traz paz e me ajuda a encontrar o que posso vir a gostar.

Casamento … não seria o treinador kkOma a se casar primeiro? Não é porque eu acho que kkOma se apressaria e se casaria, mas porque eu acho que vou acabar casando quando for muito mais velho. (Risos) O que procuro em uma mulher? Tenho 176cm de altura e prefiro mulheres com altura igual.”

“Se meu filho vier até mim e pedir minha permissão para me tornar um jogador profissional, eu vou recusar. Eu me tornei um jogador profissional para experimentar algo único e especial. É por isso que quero recomendar outros tipos de trabalhos para meus filhos. Mesmo que eles sejam persistentes em se tornar jogadores, eu farei o meu melhor para persuadi-los a sair disso. Isso ainda está longe no futuro. ”

A grande popularidade de Faker se espalha pelo mundo todo. O reconhecimento de ser o melhor jogador da história do LoL faz com que ele seja um dos símbolos de quando se fala de eSports. Agora com a inclusão do League of Legends nos Jogos Asiáticos, Faker pode ter a chance de representar sua nação na competição.

“Como o eSports estão em constante crescimento, alguém iria atrair atenção, não necessariamente tem que ser eu. Olhando para os eSports nos Jogos Asiáticos, eu realmente acredito que eles (eSports) continuam em constante crescimento. Também me tornei muito motivado para fazer o meu melhor absoluto, para que eu possa ser escolhido para jogar nos Jogos Asiáticos.

Embora nada tenha sido decidido ainda, será uma honra poder competir nos Jogos Asiáticos. Mas não será apenas diversão e jogos, todos os cinco participantes precisarão dar o melhor de si.

Eu não sei se vamos conseguir chegar lá e ganhar. Olhando apenas para o MSI, você já pode ver quão fortes são as outras regiões. Teremos que fazer melhor para vencê-los. Eu não tenho certeza sobre a diferença entre as regiões (Coreia e China), mas não acho que a KZ estava no seu melhor durante o torneio. É claro que qualquer time pode potencialmente ganhar, mas eu não esperava que o KZ perdesse naquela época. Em minha opinião a KZ simplesmente teve um desempenho ruim entre eles mesmos.”

Para finalizar, Faker comentou sobre seu estado de confiança atual, em como se classifica perante outros mid laners e também sobre trabalhar duro para voltar ao topo.

“Normalmente não sinto muita pressão, mas este ano senti um pouco de pressão e peso. Tais coisas aparecem quando você quer acompanhar as expectativas dos outros. Então eu senti que ir com o fluxo e fazer minhas jogadas seria bom para mim. Por outro lado, se eu me sentir sobrecarregado por minhas atividades cotidianas pessoais, é melhor para mim como pessoa. Eu preciso ser uma boa pessoa nos olhos dos outros e acho que isso faz a minha vida correta.

Atualmente, sou um mid laner classificado no 4º lugar. Se fosse 2014, eu teria me classificado como 1º, independentemente do desempenho geral da equipe, mas meu desempenho individual na última temporada não foi bom o suficiente para me colocar no topo. Honestamente, não estou confiante o suficiente, preciso me esforçar mais de novo, porém não tenho certeza de que vou me sair bem novamente.”

oto: Kenzi – Fomos

“Não é que minha mecânica tenha piorado por causa da minha idade ou qualquer coisa, mas minha mentalidade não é como antes. É meio difícil dizer. Quando eu era mais jovem eu realmente tinha confiança em mim mesmo, mas agora, eu tenho a tendência de me rebaixar.

Eu realmente preciso me esforçar muito para chegar ao meu melhor, mas eu realmente não concordo quando as pessoas dizem que eu “trabalho muito” porque todo mundo coloca seu melhor esforço naquilo que faz. Estou numa idade em que poderia estar interessado em outras coisas, mas eu não tenho tempo suficiente para fazer isso. Eu realmente quero chegar ao Mundial deste ano e quero ganhar. Eu quero obter bons resultados, colocando todo o esforço que posso. Eu tinha dito que não tinha certeza, mas isso vem do esforço; Se eu me esforçar o suficiente poderei atingir minha meta. ”

A entrevista foi realizada pelo site Inven, e teve sua tradução para o português feita pelo Mais e-Sports. A tradução pode ter sofrido alterações para melhor entendimento.