É minha vez? MINHA VEZ??

A Overwatch League já está rolando e, graças às maiores mentes pensantes do joguinho, a superlotação de tanks e suportes parece estar sendo drenada pouco a pouco! É claro que a zona de conforto de muitas equipes – como a Paris Eternal, por exemplo, que deve jogar com a GOATS até ser literalmente impossível aplicar sua teoria na prática – continua sendo o 3-3, porém este cenário está mudando e a aparição de muitas opções incluindo mais heróis DPS tem sido real e efetiva. Além disso, um certo hamster está sob os holofotes mundiais do Overwatch, com funções essenciais para o bom desempenho dos elencos que escolhem apostar em 3 ou até 4 DPSs, e é justamente sobre o rato mais querido de todos que falo no artigo de hoje!

• O porquê

Inicialmente , a escolha padrão para composições com múltiplos DPSs era a Orisa. Alta resistência com seu Fortificar, muita vida, controle da movimentação adversária com o Parados!, enfim… a isca perfeita. Gaste recursos para eliminá-la e seu time estará engolindo os adversários vivos com a altíssima taxa de dano, em especial para a opção de 4 DPSs.

Entretanto, embora a égua robótica permaneça válida para táticas estáticas de defesa de pontos com esquinas favoráveis, a versatilidade e sobrevivência do Wrecking Ball chamaram a atenção dos teóricos do jogo, fazendo com que ele seja escolhido na grande maioria das situações.

Ótimo para dar aquela olhadinha na composição adversária antes das lutas – por conta de sua visão em terceira pessoa quando está em formato de bola e alta mobilidade -, Hammond também oferece um ótimo controle dos suportes inimigos, garantindo eliminações ou forçando recursos adversários após bater a estaca na retaguarda do outro time – no bom sentido, é claro. Aliás, muitos jogadores de Zenyatta estão optando por trocar o ômnico pela Moira, justamente para sair do foco imediato do Ratão e não ser um alvo tão fácil da Sombra, também, que tem sido uma ótima iniciadora junto Hammond.

Além disso, a Bola de Demolição é muito boa na hora de provocar o famoso disrupt, ou seja, perturbar, quebrar, desfazer o posicionamento adversário, colocando a sua Tracer, Sombra, Widow etc na melhor situação possível para finalizar abates. E, como se não bastasse, a mobilidade e o escudo do Rato fazem com que ele saia com vida do meio do pagode, atraindo a atenção e recursos cruciais do time adversário pra si, o que deixa seu time em vantagem em relação ao inimigo.

E, finalmente, após os nerfs recentes na armadura geral do jogo, seu dano causado por tiros na cabeça, os famosos headshots, aumentou em 40%, proporcionando mais perigo ainda para o outro time, além do próprio Hammond poder contar com seu próprio escudo para mitigar dano, o que o coloca à frente de tanks que dependem mais da mitigação proporcionada pela armadura.

Pra cima dos suportes, agora! | Fonte: Site Oficial Overwatch

• A utilização

“Ahh, Tonello, então é só ficar rodando que nem besta no objetivou ou ir direto para a retarguarda dos caras que a gente ganha?”

Hmm… Não. É importante considerar diversos fatores para implementá-lo bem nas composições que estão aparecendo atualmente na OWL. Primeiramente, saiba onde seu time está posicionado e tenha um bom timing de dive, ou seja, esteja sincronizado com os aliados que também atacarão o mesmo alvo na hora de partir para cima. Caso sua estratégia seja simplesmente distrair os inimigos, tenha certeza que seu time está pronto para atacar em outro ponto do mapa, para que sua iniciativa semi-kamikaze não seja em vão. E, finalmente, caso adote uma postura mais de controle de território, nunca faça movimentos sem um objetivo claro em mente, pois a bagunça deve ser causada, mas, para ser realmente efetiva, precisa deixar o time inimigo fora de posição e pronto para a eliminação e/ou sem a capacidade de cumprir suas funções dentro da luta. Portanto, seja um louco, mas um louco consciente!

Importante: Perceba que normalmente as palavras ponto e Wrecking Ball estão próximas nos contextos em geral. Isso reflete um outro fator de sua utilização atual – a preferência pela escolha do herói em mapas de Controle, Assalto e Híbridos, no primeiro objetivo. Claro que é possível utilizá-lo em mapas onde uma carga precisa ser escoltadas, mas não ter um objetivo fixo para atacar torna o trabalho do adversário mais fácil na hora de escapar de uma luta desvantajosa. A não ser que sua intenção com o rato seja de ficar rodando na carga à la Pião da Casa Própria para impedir o objetivo de ser entregue. Nesse caso, tem que ter Hammond mesmo!

• O Campo Minado

Falei, falei, falei e não citei um dos fatores mais importante do uso recente do Hammond – sua habilidade suprema. Componente central na contestação de objetivos, as minas são essenciais para controlar um território e podem ser a chave para vitória da luta de maneira econômica, tanto por explodirem alguém pego desprevenido quanto por possibilitarem a separação de alguns jogadores adversários, o que os torna alvos fáceis. Aliás, fica uma dica: Ao se catapultar ao ar, utilize o Campo Minado antes de soltar o bate-estaca, para que dê tempo das minas serem armadas enquanto os inimigos ainda estão no ar, com menos chances para escaparem dali.

O chão é bomba! | Fonte: Site Oficial Overwatch | Link:

• As estrelas

A China, principalmente, veio forte com a estratégia nova, fazendo jus ao estilo de jogo mais caótico, rápido e agressivo da região, portanto três nomes importantes para seu estudo e observação são justamente de equipes chinesas! Eis bons exemplo da jogabilidade com o Rato que merecem atenção:

– ameng: jogador da Chengdu Hunters, time que mais vezes utilizou Wrecking Ball fixamente até agora na Liga. Liderando o ranking de maior dano geral com o herói, muito por conta do seu uso contínuo, vale a pena ficar de olho em sua característica ofensiva, sempre buscando iniciar lutas – o que também o faz morrer bastante em contrapartida.

– Rio: player da Guangzhou Charge, está no topo de eliminações com o Hammond, buscando sempre as finalizações de abates e mantendo-se o mais seguro possível, o que lhe concede um K/D (Eliminações dividas pelas mortes) de 6.73 – o maior da Liga com o Wrecking Ball.

– Geguri: A Off-tank da Shanghai Dragons possui um estilo bastante diferente de jogar com o Rato. Morre pouco, não avança tanto para causar dano, porém controla bem o território. Com um K/D de 3.92, mantém uma boa média e apresenta algo diferente para o time. Vale a pena o estudo!

– Muma: Tank americano, com muitas passagens pela seleção de Overwatch dos EUA, teve destaque com o herói desde que ele foi lançado. E não é diferente na liga! Mesmo com a Outlaws em uma situação delicada na tabela, a habilidade individual do cara tem que ser destacada!

Eis o cara que mais curtiu jogar de Wrecking Ball na Liga, então… olho nele! | Fonte: Overwatch League

Agora que já sabe os porquês da aparição recentemente forte do Wrecking Ball, é o momento de colocar os estudos em prática na ranqueada e até mesmo no seu time! E, claro, acompanhar a Overwatch League, de quinta a domingo, no Canal Oficial em Português! Para o cronograma completo e mais informações, só chegar no Site Oficial da Overwatch League! Abração e até semana que vem em mais um artigo!