O Circuito Desafiante, campeonato que dá acesso ao CBLoL, tem recebido cada vez mais destaque com a passagem de grandes equipes. Na final de sua última edição entre Flamengo e IDM Gaming, as transmissões oficiais alcançaram mais de cem mil espectadores simultâneos.

Formado por equipes que caem do CBLoL e outras que não conseguem subir para a primeira divisão, também compõem o Circuito Desafiante organizações que conquistam sua vaga por meio do Torneio de Acesso; um campeonato aberto cujas equipes vencedoras se enfrentam dando a oportunidade das duas melhores enfrentarem os dois últimos colocados do Circuito, lutando pela vaga na competição para o próximo split.

A primeira etapa do Torneio de Acesso ocorreu na semana passada, com mais de 480 equipes inscritas. Ao decorrer das próximas três segundas e terças-feiras, acontecerão as etapas restantes do torneio e, com base nisso, discorreremos brevemente ao longo desta semana sobre as principais equipes que podem vir a garantir suas vagas no próximo Circuito Desafiante.

INTZ Blue

Sendo anunciada 1º de fevereiro como a line B de uma das maiores e mais tradicionais equipes do país, a INTZ Blue é formada por novos nomes do cenário competitivo, porém conhecidos do tier 3. Seus jogadores são Xem, Sephis, Hauz, Yan e Maynah, com ONMETA assumindo o papel de head coach.

A INTZ Blue está na Gaming House da INTZ durante o período de qualificatórias.

No primeiro torneio de acesso, a INTZ Blue apresentou bons jogos, porém caiu nas quartas de final. Em conversa com o Mais e-Sports sobre a preparação para a semana passada, Marcelo “Xem” afirmou que estavam de mudança para a gaming house da INTZ, no intuito de intensificar os treinos.

“As primeiras semanas foram de adaptação e de organização, porque dentro de uma gaming house tudo muda e você passa a conviver com outras pessoas de diferentes personalidades. Então, depois de termos nos acostumado com a mudança e finalmente conseguido nos organizar com a rotina, começamos a treinar o mais pesado possível, visando conseguir o máximo de conhecimento possível dos jogadores experientes que já habitavam a casa”. Ao ser questionado sobre como a equipe vinha se preparando para a próxima semana, Xem se mostrou otimista:

“Continuamos com foco total na nossa rotina e agora contando com a ajuda do Arthur “Tchubz”, que é analista da INTZ principal e vem sendo de grande ajuda para a nossa equipe. O conhecimento que ele tem é simplesmente absurdo, então estamos focados em colocar todo o conhecimento passado por ele em prática.”

Formada por nomes conhecidos do tier 3, Xem, Sephis e Maynah são os únicos da equipe a possuírem passagens pelo cenário competitivo. Xem e Sephis jogaram, respectivamente, pela Keyd Warrios e 2Kill durante o Circuito Desafiante em 2016. Já o support Maynah, foi reserva da Merciless Gaming e chegou à semifinal do Circuito no segundo split do ano passado. Yan e Hauz são promessas de campeonatos menores mas que, segundo Xem, são detentores de grande talento.

“Estamos conseguindo adquirir muito conhecimento com a INTZ, estamos aprendendo coisas que chegamos a falar ‘nossa, eu nunca vi algo assim na minha vida!’”, afirmou o toplaner. “Os jogadores, a parte técnica e a organização da INTZ em si estão sempre acrescentando muito para a gente e estamos muito felizes em representá-la. Com toda a certeza daremos o sangue para representá-la da melhor forma possível e, claro, como um bom Intrépido.”

Redemption eSports Porto Alegre

Sendo uma nova organização composta por novos talentos, a Redemption conta com os jogadores Balto, Kvrak, Riva, Kadaki e Hawk sob o comando do head coach Carlos cariocA, sendo a única equipe residindo no Rio Grande do Sul.

Apesar de estar entrando agora no cenário, a Redemption também já conta com uma estrutura de Gaming House e até psicólogo.

No primeiro torneio de acesso, a Redemption ficou em primeiro lugar realizando uma campanha bem sólida e duas ótimas partidas na final. Questionado pelo Mais e-Sports sobre a preparação para a classificatória, cariocA afirma ter sido bem forte:

“Focamos bastante em sermos inteligentes dentro de jogo e não só tentar se sobressair mecanicamente como alguns times fazem”, ressalta. “Acredito que se faltava alguma experiência pros jogadores eu consegui trazer pra equipe, usando bastante do conteúdo que eu aprendi no tempo em que estive na Operation Kino.”

Além de cariocA, que teve uma passagem pela OPK, o outro integrante com experiência nesta equipe de revelações é o jogador da rota do meio Riva. Em 2016 e sob o nick de Rivabene, o midlaner chegou a disputar relegation para o CBLoL pela Gênesis, ao lado de Shini e Absolut. Além dos dois citados anteriormente, Balto teve uma breve passagem pelo cenário competitivo, jogando apenas a Superliga ABCDE representando a Brave e-Sports.

Apesar de terem ganho e por mais encaminhada que esteja, a Redemption e-Sports não está garantida na próxima fase, porém depende apenas de seu desempenho.

“Agora nas próximas semanas vamos pegar mais duro ainda nos treinos, mesmo tendo ganho a primeira classificatória falta bastante ainda pra terminar tudo”, reiterou cariocA, quando perguntado sobre os campeonatos que se sucederão. “É aquele velho ditado: chegar no topo é fácil, difícil é se manter lá em cima.”

A Redemption venceu o primeiro dos três campeonatos de acesso para o Circuito Desafiante 2018 e assim já acumula 100 pontos. Nesses três torneios, os 8 times que mais pontuarem disputarão os playoffs da competição. Dos 8, apenas 2 ficarão no final para jogar contra a Iron Hawks e a 5Fox, valendo vaga no Circuitão.