Uma derrota surpreendente de virada e um verdadeiro stomp com direito a uma composição com Katarina e Camille na segunda partida, é assim que podemos resumir a segunda semana da paiN Gaming no 1º split do CBLOL 2017. O mid laner da paiN, Gabriel “Kami” Bohm, explicou para o Mais e-Sports o que deu de errado no primeiro jogo e ainda falou sobre como foi finalmente conseguir utilizar sua Katarina na competição.

Para Kami, o grande erro da paiN Gaming no primeiro jogo contra a Operation Kino, em que o time em apenas 18 minutos de partida já tinha destruído o inibidor da rota inferior do adversário e não conseguiu vencer o jogo foi o fato da equipe não ter tomado as decisões que precisavam ter tomado ao longo do confronto.

“Por causa da vantagem que a gente tinha, nós poderíamos fazer literalmente qualquer coisa no jogo desde que a gente executasse de forma certa. Nós demoramos muito para fazer e quando fizemos, executamos errado, que foi aquele dive no mid todo torto. Faltou protagonismo do time para fazer alguma coisa, a gente tinha flecha da Ashe, tinha Ekko pra dar dive, tinha Shen, podia fazer qualquer coisa e não fizemos nada. Esse foi o pior erro, foi um erro muito amador que a gente não pode cometer novamente”, conta Kami.

O mid laner da paiN ainda falou sobre como foi ter jogado de Katarina na segunda partida da série. O jogador disse que começou a jogar com o campeão depois do rework sofrido por ele e desde então viu que a Katarina poderia ser usada no competitivo. No entanto, após treinar com ela algumas vezes e não terem obtidos bons resultados, o campeão foi deixado de lado.

“Depois que não deu muito certo nos treinos, eu sugeri para o time esperar um pouco. Eu já achava que o Faker poderia usá-la na LCK e se o campeão aparecesse em outra região, a gente tentaria usar a Katarina de novo. Depois que isso aconteceu, nós analisamos como os times jogavam em volta da Katarina, já que apesar dela ser um champion muito forte, é um campeão que não pode sair pickando sem pensar, já que ela tem vários counters e vários problemas”, revela o mid laner.

Ainda falando sobre o campeão, Kami disse que “o grande brilho da Katarina é que ela precisa que as estrelas se alinhem para que ela possa jogar”. Mas que quando isso acontece, é muito difícil parar o campeão e isso acabar por influenciar também na estratégia do draft, tornando-o muito mais dinâmico.

Para o confronto do próximo sábado (4) contra o CNB e-Sports Club, Kami disse que não interessa muito o que aconteceu na série contra a OPK e que a equipe irá se preparar para o próximo adversário da melhor maneira possível.

“Vamos tentar fazer o nosso melhor para que os erros que aconteceram contra a Operation Kino não aconteçam de novo e também para que a gente consiga sair com um 2-0 no sábado”, afirma o jogador.