tge, da Bulldozer, na decisão da 8ª temporada da BPL (Foto: Victor Hugo Porto/Mais Esports)

A Bulldozer e-Sports respondeu o porquê de ter proibido seus jogadores de disputarem a seletiva do minor. De acordo com a organização, a decisão foi tomada “em respeito” a Gustavo “tge” Motta – que está passando por um problema com pedras nos rins.

A resposta foi enviada via email para o Mais Esports e publicada nas redes sociais da organização. De acordo com a nota, o fato dos jogadores não voltarem para a gaming house em Vitória “compromete o planejamento da equipe, bem como fere o contrato firmado entre as partes”.

Segundo a Bulldozer, tge informou uma “crise renal séria”, mas “nenhum atestado foi apresentado, o que deixa uma grande lacuna na situação quanto ao ponto de vista legal”. A organização disse que “percebeu a seriedade do caso” em conversas com o jogador e decidiu aplicar a sanção a ele e seus companheiros.

A Bulldozer afirmou que a decisão veio após a organização não ter “ciência formal sobre quando poderia voltar a contar com o jogador e em respeito a ele, decidiu suspender, temporariamente, a participação nas competições até que o mesmo voltasse a Vitória, para exames médicos detalhados. E, somente depois disso, se tudo estiver bem, voltar a participar dos eventos”.

De acordo com a nota, essa é uma maneira de minimizar “qualquer possibilidade de transtornos para toda a organização, incluindo os jogadores”.

Sobre as reclamações de infraestrutura, a organização revelou que fez um investimento médio de R$ 15 mil recentemente, atendendo a pedido dos próprios jogadores. A Bulldozer afirma que “deseja acreditar” que a declaração de Michael “dok” Marques, que iniciou a discussão, “seja motivada pela paixão pelo e-Sport e espírito competitivo, e não por motivos outros em decorrência dos ótimos resultados obtidos pela organização”.

CONFIRA A NOTA DA BULLDOZER NA ÍNTEGRA:

A Organização Bulldozer Team após tomar ciência da declaração postada pelo jogador Michael, bem como do conteúdo midiático relacionado ao time, vimos a público esclarecer que após jogar o ESL Brazil Premier, em São Paulo, alguns jogadores decidiram não voltar para Vitória. Isso compromete o planejamento da equipe, bem como fere o contrato firmado entre as partes.

É importante salientar que o jogador GustavoTGE apresentou uma crise renal séria, necessitando de internação (segundo informações dadas pelo próprio jogador). Gustavo está em casa sob medicação, portanto, não habilitado a participar do competitivo. Em algumas partidas, foi preciso utilizar nosso técnico para completar o time. Tal fato prejudicou o nosso desempenho, mas foi realizado para que a organização pudesse honrar os compromissos firmados com a classificação para fases posteriores.

Primamos pela saúde de nossa equipe e não podemos deixar que um jogador participe de competições de casa, sem sabermos exatamente da gravidade do caso.

É importante salientarmos que nenhum atestado foi apresentado, o que deixa uma grande lacuna na situação quanto ao ponto de vista legal. A direção da equipe conversou com o jogador e percebeu a seriedade do caso, já que, como foi dito, este estaria com uma crise renal podendo levar a sérias complicações.

Diante dessa situação, a Bulldozer, sem ter ciência formal sobre quando poderia voltar a contar com o jogador e em respeito a ele, decidiu suspender, temporariamente, a participação nas competições até que o mesmo voltasse a Vitória, para exames médicos detalhados. E, somente depois disso, se tudo estiver bem, voltar a participar dos eventos.

Dessa maneira, minimizaríamos concretamente qualquer possibilidade de transtornos para toda a organização, incluindo os jogadores.

Com relação à postagem do jogador Michael, desejamos acreditar que seja motivada pela paixão pelo e-Sport e espírito competitivo, e não por motivos outros em decorrência dos ótimos resultados obtidos pela organização. Frisamos que a Bulldozer Team, segue promovendo grandes investimentos na estrutura e na qualidade de seus equipamentos. Dispomos para o time de Counter Strike: 12 computadores i7-7700 3.6GHz, com 16GB de RAM e Placas de Vídeo GeForce GTX 1060. Atendendo a solicitação dos jogadores, no dia 13/05, adquirimos novas configurações para 5 máquinas, comprando novos processadores i7-9700K e placa-mãe ASUS TUF H310M-PLUS Gaming (investimento médio de R$15.000,00). A internet é de primeira qualidade: dispomos de uma interconexão digital junto ao provedor no qual temos uma taxa de download/upload de 1GB, além de uma redundância de 250 MB de outra provedora. Toda a infraestrutura de cabeamento CAT6 Furokawa e switchs Gigabit.

Recentemente, promovemos um evento com 20h de transmissão direta de forma impecável e sem nenhuma queda sequer, com 0% de perda de frames.

Na certeza de que nossas ações contribuem de forma inequívoca para a confiabilidade, ética e profissionalismo do esporte que amamos.

Atenciosamente,

Bulldozer Team.