Um dos melhores jogadores do mundo de CS:GO, Marcelo “coldzera” David ajudou o MIBR a adquirir o status de “Legends” pela décima vez seguida ao coquistar uma vaga para os playoffs da IEM Katowice Major 2019.

O jogador bicampeão e duas vezes MVP do Major concedeu entrevista ao Mais Esports, e comentou sobre a performance do MIBR no campeonato, a união da equipe e o confronto contra a Renegades.
Confira:

Cold, como você está se sentindo em relação as performances do MIBR no Major até aqui?

Coldzera: O sentimento é muito legal, viramos Legends novamente, a gente está com uma equipe nova, jogando com felps e TACO, então por mais que seja um time que já jogou junto antes, nós mudamos bastante nosso estilo de jogo durante esse último bootcamp. Está sendo uma experiência legal, estamos conseguindo botar nosso jogo em dia, mesmo tendo um pouco de nervosismo no primeiro confronto, onde jogamos contra a Cloud9 e fizemos algumas coisas que não costumamos fazer, jogamos de forma bem lenta, o que foi um jogo bem atípico porque estávamos bem nervosos. A cada jogo a gente está tentando improvisar melhor, jogando com uma pegada diferente nesse campeonato também, mas estamos nos soltando aos poucos e a pressão está saindo um pouco das costas.

Você pode apostar nos jogos do Major de CS:GO através da Betway

Explica um pouco para gente o que é essa pegada diferente que vocês estão jogando.

Coldzera: A gente quer ganhar a qualquer custo, a gente quer voltar a ser o melhor time do mundo a qualquer custo. Esse bootcamp que a gente fez agora de 18 dias foi um dos mais intensos que a gente já teve, inclusive nós treinamos em torno de 110 mapas nesse tempo, praticamente jogando de dez a doze horas de CS todos os dias, onde nós também trocamos bastante nosso mindset dentro do jogo, de acordo como a gente quer jogar, como a gente vai jogar contra alguns times também. Está sendo uma preparação diferente dos outros torneios.

Da última vez que a gente conversou você disse que sentia falta daquele sentimento de família, união entre o time. Como que está esse extra-jogo agora que você voltou a jogar com uma equipe 100% brasileira?

Coldzera: Nosso ingame e outgame estão muito fortes, a gente está com um psicológico muito forte também. O zews foi uma adição super importante para o nosso time, além dele trazer bastante coisa nova ele também trouxe um lado importante que é o lado psicológico. Ele colocou algumas tabelas do lado do nosso bootcamp que ele aprendeu com os psicólogos da Team Liquid na época, e ele apresentou algumas coisas muito interessantes pra nós e fez a gente manter o foco durante todo o dia, o que foi uma coisa super importante pra gente desenvolver nosso ingame. Jogar com os caras é sempre muito bom, falar português de novo é muito bom, a comunicação é muito mais lisa, muito mais rápida, as reações são muito mais rápidas, então fica muito fácil de jogar. Falando do sentimento de família, é muito bom jogar com eles, a gente se entende tanto dentro quanto fora do jogo, então fica fácil de conviver, de lidar um com o outro e a gente está conseguindo ser um time novamente.

Você pode apostar nos jogos do Major de CS:GO através da Betway

Você está tendo um desempenho como se fosse o coldzera de 2016. Enquanto o time ainda está engrenando você parece já estar 100% dentro do jogo, jogando muito CS. Como você está se sentindo com a sua performance individual até aqui?

Coldzera: Ainda acho que falta bastante pra mim, eu acho que não atingi meu pico ainda. Consegui fazer umas jogadas boas durante a fase de grupos, mas ainda acho que falta muita coisa, ainda estou jogando um pouco pressionado, meio preso dentro do jogo. Jogar com meus companheiros é muito fácil, a gente está se soltando aos poucos, e a galera já esta começando a jogar melhor, e a gente vai apresentar um bom jogo nesses playoffs.

Para começar esses playoffs vocês tem a Renegades, um time que está surpreendendo até aqui por causa da ótima campanha no Minor, New Challengers Stage e na Legends Stage. O que vocês estão preparando para enfrentar os australianos?

Coldzera: A Renegades é um time muito bom, nós treinamos com eles alguns mapas no nosso bootcamp e eles estavam bem sólidos. Acho que foi um dos times mais sólidos que a gente treinou em relação aos times considerados bons que a gente jogou contra, eles estavam muito bem preparados, e a gente sabia que eles iam passar da fase de grupos. o Renegades é um time muito bom, um time que não da pra subestimar, então a gente está bem concentrado contra eles, a gente está se preparando muito bem nessa semana de folga, estamos treinando todos os dias. Vamos nós preparar bem contra eles e esse promete ser um bom jogo.

Aqui no Major nós estamos vendo um aumento do uso da AUG, com ela sendo usada quase três vezes mais do que a M4. Você é um dos jogadores que está utilizando essa arma, o que você pode falar sobre ela, a AUG está quebrada neste momento? Poque você está preferindo usa-la no lugar da colt?

Coldzera: A AUG está sendo muito utilizada no meta, o zoom dela é muito forte, ela está muito rápida para atirar. Para você solar um adversário com a AUG é muito fácil, por exemplo se você estiver marcando banana da base CT na Inferno com AUG você vai deitar pelo menos uns dois. Ela está parecendo um laser e lembrando muita a M4 silenciada antiga, onde ela atira muito rápido e o fire power e o speed power dela são muito altos. Ela está muito quebrada e acho que a VALVE deveria fazer uma mudança neste quesito, porque todo mundo já viu que a arma é muito boa, então acho que a VALVE deveria aumentar um pouco o preço, fazendo com o que jogador tenha que optar entre comprar uma granada extra ou a AUG e pode até voltar com o preço antigo, porque a galera vai continuar comprando. O uso da AUG vai ser mais constante até a próxima mudança.

Você pode apostar nos jogos do Major de CS:GO através da Betway