Com as equipes já definidas e o calendário do 1º Split do Campeonato Brasileiro de League of Legends de 2017 já divulgado, a Keyd Stars figura como principal candidata ao título da competição após as contratações de Gabriel “Revolta” Henud, Felipe “Yang” Zhao e Pedro “Ziriguidun” Vilarinho e a volta de André “esA” Pavezi e Murilo “takeshi” Alves do bootcamp de três meses na Coreia do Sul.

Um dos novatos da equipe, o suporte Ziriguidun, conversou com o Mais e-Sports sobre a sua saída da paiN Gaming, os motivos que o levaram a aceitar a proposta da Keyd, como será a sua parceira com esA na bot lane e também como será lidar com a pressão de ser favorita ao título do CBLoL.

De acordo com o jogador, o sistema de reservas implementado pelo treinador da paiN Gaming Gabriel “Mit” Souza não o incomodou no início, já que a organização tinha deixado claro que o Loop voltaria a jogar em breve e quando isso acontecesse, os dois jogadores iriam se revezar na função.

Porém, segundo Ziriguidun, a derrota para a INTZ nas semifinais do 2º Split do CBLoL de 2016, mexeu muito com ele e todo o momento que ele vinha atravessando acabou afetando-o muito, fazendo com que ele se afastasse da equipe.

“Acabei perdendo para a INTZ, o Loop estava voltando, foi um momento de fraqueza meu e eu acabei me afastando do time. O sistema de reservas tá dando muito certo lá, como no caso do TaeYeon e do Thulio, do Rakin e do Kami, eu vi de perto isso. Só que na minha situação não deu muito certo, acabei pedindo para não jogar, fiquei na reserva e depois de alguns meses recebi a proposta da Keyd, a qual aceitei logo de cara”, conta Ziriguidun.

Já em relação à sua chegada na Keyd, o suporte disse que sabe que irá enfrentar uma grande pressão do público pelo time que foi montado. No entanto, o jogador disse que por conta da sua experiência, essa pressão é administrada de maneira muito tranquila por ele.

“Todo mundo espera que a gente já chegue ganhando, só que eu levo numa boa isso. Eu me considero um player com bastante experiência, já fui coach da KaBuM no Mundial, já joguei pela paiN que tem uma torcida muito grande e por isso tem bastante pressão também. Então eu estou tranquilo em relação a isso”, afirma Zirigui.

O jogador ainda falou que a parceria com o seu novo companheiro de bot lane, o AD Carry André “esA” Pavezi, tem tudo para dar certo por conta do carinho que ele tem pelo novo companheiro desde que jogaram juntos na época em que estavam banidos do cenário competitivo.

Quando questionado se era possível que o jogador tivesse outro momento de fraqueza após um revés, só que desta vez na Keyd, Ziriguidun foi direto: “Aprendi com os meus erros na paiN e aqui na Keyd é cabeça nova e vida nova”.