YNk e NiKo durante partida do Eleague Invitational (Foto: Edward M. Pio Roda/Eleague)

A IEM Katowice começou com o pé direito para Janko “YNk” Paunovic. Agora no comando da FaZe Clan, o ex-treinador da MIBR, conseguiu vencer a HellRaisers no seu primeiro compromisso no major e elogiou a experiência e a preparação para o torneio.

“Tenho sorte de ter jogadores experientes ao meu lado. Todos são rodados e já estiveram em majors antes. Não existe nenhum sentimento neste sentido ou nervosismo. E também tivemos uma preparação muito boa no bootcamp na última semana”, contou YNk em entrevista ao Mais Esports em Katowice, na Polônia.

“Acho que isso aumentou a confiança dos jogadores. Eles sabem que temos um plano A, B e C e estamos preparados para qualquer coisa que acontecer”, completou.

O mapa da vitória, que aconteceu de forma esmagadora por 16-4, foi a Train e o sérvio destacou as mudanças que a equipe teve de fazer nela antes da disputa do mundial.

“A Train é um mapa que jogamos muito nos dois últimos torneios. Temos muitas estratégias que já eram conhecidas então tivemos que preparar muita coisa nova e meio que nos reinventar no mapa. Seria fácil para algumas pessoas simplesmente assistir a esses jogos e se preparar, então trabalhamos muito nisso”, afirmou.

Confira a cobertura completa e in-loco da IEM Katowice no Mais Esports

O estudo do adversário também ajudou a FaZe a estrear com vitória. Quando liderava a partida por 11-4, a equipe recebeu uma orientação muito específica de YNk: a probabilidade de um “rush fundo” dos adversários no pistol. Dito e feito, a HellRaisers optou pela estratégia e acabou perdendo a rodada e, posteriormente, o jogo.

Questionado sobre essa “leitura”, YNk disse que a sensação de quando isso acontece é “a melhor possível”.

“Quando você pede um pause, seu time está sofrendo e você dá uma ideia ao time e eles a executam bem. Acho que é a melhor parte. Você prepara seu time e as coisas acontecem como o esperado”, explicou.

“Mas também é importante não ir muito longe com isso em um time como a FaZe. Eles são muito habilidosos e você não quer carregá-los de informação. Se você só deixar eles jogarem, eles vão fazer boas decisões por eles mesmo. Acho que achamos um bom balanço entre essas coisas”, completou o treinador.

UM CAPITÃO IMPRESSIONANTE

Desde a saída de Finn “karrigan” Andersen em dezembro, Nikola “NiKo” Kovac assumiu o papel de IGL, ou capitão, na FaZe. Apesar da desconfiança do público, o bósnio tem feito um bom trabalho e já conseguiu seu primeiro título no Eleague Invitational.

Questionado sobre a função de NiKo, YNk se disse surpreso pelo bom rendimento do astro.

“Fiquei bem impressionado. Ser um IGL não é um papel fácil. Eu trabalhei com o FalleN, que é um IGL incrível, e estava esperando ter situações diferentes com o NiKo, mas ele tem sido incrível. [Ser IGL] não impactou seu jogo em nada e ele vem jogando e chamando as jogadas muito bem”, explicou.

“Claro que há problemas em alguns momentos do round, mas ele tem tido ótimas ideias quanto a isso. E também temos trabalhado juntos para facilitar e distinguir quais são as boas e as más calls”, completou o treinador.

ENCONTRO APIMENTADO

YNk também comentou sobre sua saída da MIBR. Depois de quatro meses de pouco sucesso ao lado dos brasileiros, o treinador foi  trocado por Wilton “zews” Prado e, posteriormente, contratado pela FaZe.

YNk destacou que não se arrepende em nenhum momento de ter se juntado à Gabriel “FalleN” Toledo e companhia e aprendeu muito em sua primeira experiência como treinador.

“Se eu pudesse fazer novamente, faria algumas coisas de uma maneira diferente. Mas, naquele momento, eu simplesmente não sabia [qual era o jeito certo]. Eu não tenho nenhum arrependimento porque eu dei meu melhor e trabalhei duro”, contou.

Agora mais experiente, YNk consegue ver o momento que o time formado por brasileiros e norte-americanos “quebrou”.

“No período depois da Turquia eu fiquei de fora por um tempo. Quando voltei, tínhamos perdido tempo e acho que foi o que machucou o time para a Blast Pro Series [Copenhagen] e para a IEM Chicago. Acho que esses dois resultados ruins quebraram o time. Se tivéssemos mais tempo, mais preparação, quem sabe o que poderia ter acontecido”, explicou.

Apesar de sempre destacar a falta de ressentimentos ou problemas, YNk não escondeu o desejo de enfrentar seus ex-companheiros.

“É uma situação que, independente da minha vontade, vai acontecer em algum momento. Eles são grandes jogadores, sabem muito do jogo e mesmo que tenham treinado por tão pouco tempo, ainda acho que eles ainda vão ser um time perigoso”, afirmou.

“Mas, eu gostaria [de enfrentá-los] pois sou um cara que sempre gosta quando há uma ‘apimentada’ no jogo. É o seu ex-time. Não há problemas ou rivalidade, mas eu acho que eles sentem o mesmo, querem me vencer, ou vencer Stewie2K e tarik quando eles jogarem. Se a gente se encontrar, claro, eu quero mostrar para eles que eles deveriam ter me mantido (risos)”, finalizou o sérvio.