- Publicidade -

A segunda série da Escalada do CBLOL 2018 aconteceu no último sábado (18), e teve como vencedor o CNB e-Sports Club, que conquistou o 3 a 2 em uma decisão emocionante. Após os jogos, entrevistamos o caçador da equipe, Yan “Yampi” Petermann, que comentou os pontos-chave das cinco partidas e expôs sua expectativa para a próxima etapa, em que jogará contra o Flamengo eSports.

Yampi, jungler da CNB no CBLOL (Foto: Divulgação/Riot Games Brasil)

Como é o sentimento de vencer essa série disputada e passar a primeira etapa da escalada?

Yampi: Foi uma sensação de tranquilidade. Não estávamos vencendo antes, e dessa vez mostramos a nossa força contra a Keyd, que tem um grande elenco e era favorita nesse confronto. A vitória mostra também a preparação da nossa parte. O primeiro draft foi o melhor que preparamos e foi um stomp da nossa parte, mostramos nossa força com aquela composição. Aquilo mostrou que somos um time unido, que sabe ouvir. Nos adaptamos, mudamos os bans, mudamos os picks, mandamos os jogadores em lanes diferentes e jogamos de frente contra a Keyd. Foi uma série muito disputada, e por isso bate uma tranquilidade.

Os jogos contra a Keyd foram frenéticos e tiveram teamfights muito interessantes, fazendo com que acontecesse quase um Team Deathmatch ao longo da série. O meta deixa os jogos tão definidos nas lutas?

Yampi: Eu acho que não, sinto que é coisa da escalada. Os dois times se prepararam muito bem, sinto que aqui no stage os dois times estão mais seguros, então fizemos loucuras, sabíamos que íamos criar vantagem com isso porque eles não esperavam, e eles vieram com isso também. Por exemplo, o Pyke do Jockster estava muito chato, ele veio no mid no nível 1 e ficou até os 5 minutos, puxando o Brucer o tempo todo, e a gente ficou pensando: “o que esse maluco tá fazendo?” (risos). Então foi uma série muito bagunçada dos dois lados, mas que os dois sabiam muito bem o que estavam fazendo, porque os picks também favoreciam muito nesse deathmatch que rolou.

Veja também: Rakin: “Versatilidade é tudo. Você tem que ser muito adaptável em uma MD5 e nós fomos”

Quais picks você acredita que favorecem mais esse estilo de jogo?

Yampi: Acho que a LeBlanc, o Zed, o Pyke, que rolou em 4 jogos… o Pyke puxa muito esse jogo bagunçado, e eu acho que foram esses campeões que chamaram essa bagunça na série.

E nas condições de hoje, você acha que dava pra fazer um jogo mais controlado dos dois lados?

Yampi: Com certeza, mas a gente teria que saber ler muito bem essas jogadas cheese da Keyd, porque eles fazem muito esse tipo de jogada. Nós também fizemos — aquela barrigada do meu Gragas atras do pit nível 1 foi um cheese que criamos essa semana. então acho que foi mais usar os campeões pra criar vantagem no começo, mostrar que queria criar vantagem muito rápido e jogar rápido. acho que foi por causa disso que foi uma série bagunçada.

O que vc tá esperando da série contra Flamengo?

Yampi: Não vai ser uma série fácil, também. Se a gente se preparar bem, chegaremos bem fortes contra eles, e é uma questão totalmente diferente da Keyd. A Keyd é um time que joga totalmente em volta do mid — o Revolta fica muito no mid, o Jockster tbm deixou o Micao sozinho para jogar com o Tockers. Já o FLA é o contrário, puxa muito a pressão no top. Teremos que nos preparar muito bem contra os dois coreanos, que são os pontos mais fortes do FLA.

O CBLOL 2018 volta no próximo sábado (25) com a md5 entre Flamengo e CNB. Confira a cobertura completa no Mais e-Sports!