Após as partidas disputadas pelo White Rabbit Cup, etapa amadora do circuito feminino promovido pela BBL, é chegada a hora de jogar a fase intermediária: o Mad Hatter. Neste domingo (16), começa a liga de Dota 2 nessa competição online que dará vaga para a etapa premium – o Queen of Hearts, que terá R$ 23 mil em premiação total.

Com tudo isso em jogo, claro que o Mad Hatter traz um peso maior em termos de competitividade, como destacou a comentarista Melynx em entrevista exclusiva ao Mais Esports. “Baseando-se na ideia de que metade das meninas que jogam o campeonato nunca tiveram uma experiência parecida, com um valor de premiação igual, o Mad Hatter coloca sim aquela pressão inicial. Acredito que essa pressão vai deixar o campeonato maravilhoso.”

Narradora que dará voz ao Mad Hatter, Luhl enxerga também essa pressão, ainda mais tendo em vista a vaga para o Queen of Hearts, mas acredita que as pro players vão lidar bem com isso. “Todas irão ficar nervosas, mas como estamos fazendo o que amamos, o nervosismo passa assim que o jogo começa.”

“Acho que a felicidade e a realização que a grandeza do torneio proporciona, diante de toda a luta que tivemos até agora para fazer isso acontecer, é muito maior do que a apreensão de jogar em um big stage.”

Algumas jogadoras que estiveram no White Rabbit Cup e agora disputarão o Mad Hatter reforçam esse discurso que segue a linha tênue entre ansiedade e nervosismo – como é o caso de Boo, da New Eagles.

“Dá sim um friozinho a mais na barriga de imaginar o tamanho desse campeonato e a estrutura dele: a visibilidade e tudo mais. É muito empolgante para nós estarmos participando.”

Um dos pontos positivos de disputar o Mad Hatter foi a experiência que o White Rabbit permitiu antes de conhecer ainda mais as equipes que estão no cenário feminino. Até mesmo contra times já conhecidos, essa fomentação serviu para entender melhor sobre táticas e estilo de jogos que foram implementados na etapa amadora.

“Estamos treinando bastante e conhecemos as equipes adversárias”, comentou Boo. “Estudamos bastante os match-ups e muitas das meninas que vamos jogar contra são amigas nossas, então não é como se estivessemos pisando muito fora da zona de conforto. Sinto que estamos preparadas.”

LABORATÓRIO À TODO VAPOR

Uma das virtudes do White Rabbit Cup foi exatamente de voltar a fomentar ainda mais o cenário feminino de Dota 2. Com partidas todos os domingos, as equipes podiam testar novas táticas ou então consolidar estilos de jogos pensando nas etapas seguintes do circuito feminino.

Uma equipe que aproveitou muito bem esse momento foi a New Eagles, como lembrou Luhl. “As jogadoras da New Eagles formaram o time há pouquíssimo tempo e é um time que tem se destacado apesar do pouco tempo de entrosamento se comparado aos demais.”

Até mesmo por esse pouco tempo de formação, Boo admite que a line-up estava numa fase beta em meio às disputas do WRC. “Nós estávamos entrando em sincronia ainda e decidindo qual role seria melhor para cada uma. Posso dizer que aprendemos muito com cada jogo que participamos. Temos o costume de assistir os replays das partidas para tentar pontuar onde erramos e o que poderíamos ter feito de melhor.”

Ou seja, passado o momento laboratorial, agora é hora da consolidação. “Sinto que durante o White Rabbit não demos nosso 100% por ainda ser uma área meio desconhecida e pelo time ser bem novo. Agora estamos caminhando para reverter isso.”

Krolzinha, que jogava na WP Gaming, aproveitou bem o período do White Rabbit Cup, afinal, a sua line-up não perdeu uma partida sequer. “Eu acredito que somos uma equipe sólida, trabalhamos em conjunto e temos uma sinergia legal. Mostramos resultados expressivos, estamos invictas e esperamos continuar assim.”

É CHEGADA A HORA DA CONSOLIDAÇÃO

Com o Mad Hatter prestes a começar, é importante ficar de olho em quem pode surpreender. O ritmo do cenário feminino de Dota 2 é bem frenético, como pontuou Melynx. “Para quem não conhece essas equipes, a minha dica é: acompanhe tudo sem piscar!”

“Os times participantes têm um nível de jogo tremendo. Todas as meninas são empenhadas e dão duro pra conseguir chegar onde querem. Vi muito crescimento desde a primeira edição do Rainha de Copas até aqui. Modéstia parte, eu tenho muito orgulho de ter feito parte disso tudo e acompanhar o crescimento do cenário dessa maneira é uma das coisas que mais me deixa feliz.”

Com isso em mente, o White Rabbit Cup já serviu para projetar equipes que podem se destacar no Mad Hatter – como é o caso da antiga line da WP Gaming. Como destrinchou Luhl, é uma formação que tem muita força no seu trio formado por Karolzinha, daecita e lighto.

“É um time que primeiramente focou em encontrar meninas com habilidades mais altas. São meninas que se esforçam muito tanto para melhorar a habilidade individual quanto habilidade em grupo e noção de estratégias. A vantagem de estarem há muito tempo juntas, com treinos diários, é o entrosamento. Dessa forma, elas sabem os pontos fracos e fortes de cada uma e confiam na decisão individual de cada jogadora – principalmente da capitã.”
Esse entrosamento propicia um estilo de jogo de maior agressividade, como explicou a própria Krolzinha. “Temos um estilo um pouco mais agressivo, por isso, como capitã, busco sempre uma composição de jogo mais rápido, que force o jogo bem cedo e que tenha bastante pressão em lanes.”

É uma equipe que gosta de flutuar pelo mapa. “A principal virtude acredito que é a lane phase. Gosto muito desse princípio de jogo da nossa equipe: sabemos lidar com as lanes bem, rotacionamos e trocamos quando necessário.” Claro, com alguns pontos a serem melhorados. “Poderíamos melhorar a questão de manter a pressão e a snow ball no momento certo. E também a sinergia do time durante as team fights.”

Outro time que merece atenção do público é a antiga line da ELZ1. “Acompanhei elas desde o começo e teoricamente foi um dos primeiros times femininos com patrocínio de fato. A line cresceu muito e fez uma diferença considerável no Rainha de Copas”, relembrou Melynx.

Esse crescimento também foi reparado por Luhl. “Foi o time que mais evoluiu nas edições dos campeonatos até hoje. Elas estão juntas há dois anos, com quatro meninas desde o início (Snoopy, yoya, arakkov e lola), alterando de standins para principais de acordo com a evolução pessoal de cada uma.”

Snoopy tem avaliação bem clara dessa linha de curvatura. “Somos uma line-up que começou desde um nível muito baixo, mas sempre crescendo e evoluindo juntas. Temos uma amizade forte, sempre tem coisa pra melhorar.”

Discurso que vai de encontro com as palavras de Luhl. “As jogadoras optaram pela construção do time baseado em comprometimento e personalidade. As habilidades foram sendo evoluídas por consequência dessas características, com muito esforço e dedicação.”

Por fim, ainda temos a New Eagles, que, segundo Luhl, tem uma dupla que faz muita diferença. “A Haru e a takeshi, por exemplo, jogaram juntas em várias edições dos torneios e treinaram juntas por muito tempo. Além de serem amigas pessoais, o que torna mais fácil o entrosamento.”

É uma amizade que se estende para o resto da equipe, como pontuou Boo. “Gosto do fato de sermos todas amigas, isso ajuda bastante no entendimento do time e torna tudo mais agradável.”

Isso facilita a proposta de jogo reativa da New Eagles, como a própria pro player explicou. “Nós treinamos estratégias diferentes para situações diferentes, mas posso dizer que a gente gosta de fight. Procuro fazer uns drafts bem agressivos, mas claro que depende do jogo e de quem estamos jogando contra.”

“Acho que nossa maior virtude é a força de vontade de aprender, de ser melhor. Temos muita dedicação nos treinos e cada uma tem determinação de aumentar a habilidade individual jogando solo ranked.”

SEMPRE BOM LEMBRAR

O Mad Hatter é a etapa intermediária do circuito feminino promovido pela BBL e que dá vaga para o Queen of Hearts, competição premium com premiação total de R$ 23 mil. No caso de R6, os jogos serão sempre aos sábados a partir das 16h (de Brasília). Teremos duas temporadas ao todo, com dez finais de semana de confrontos.

Para mais informações, basta acessar o resumo do Mais Esports. Para inscrever seu time, já que é um campeonato aberto, entre na página oficial do Mad Hatter.