O meio Gabriel “Tockers” Claumann deu aula com seu Azir pela Vivo Keyd na primeira série do CBLOL 2018, que ocorreu no último sábado (20). Foram as primeiras partidas oficiais disputadas pelo time desde a reunião da formação de mais sucesso da história do LOL brasileiro, que jogou pela INTZ E-Sports e, após sua separação, foi apelidada pelos fãs de Exodia. Ao final da vitória de 2 a 0 contra sua antiga equipe, Tockers conversou com o Mais E-Sports sobre a escolha de seu campeão, além de comentar sobre o rival coreano Kim “Sky” Ha-neul e a ausência do pequeno prodígio Zoe.

Tockers explicou que Azir está se sobressaindo nessa atualização por seu poder em teamfights, que têm sido o foco nas partidas e composições. Segundo o jogador, a condição de vitória de Azir é lutar, pois ele é muito forte nesse tipo de situação. “Sua fase de rotas também é boa, e ele é um bom campeão para nós porque é fácil conseguir pressão no mid. Esse é o objetivo: a gente pega e se sente muito confiante, porque se a gente errar, ainda estaremos fortes e podemos ganhar o jogo depois”, esclareceu.

Tockers antes do início da série contra INTZ E-Sports (Foto: Riot Games Brasil)

Ainda sobre as escolhas, a falta do pick ou ban de Zoe intrigou alguns espectadores que esperavam ver seus instakills no CBLOL, como aconteceu nas mãos do rival Envy na Superliga ABCDE. Questionado sobre sua ausência, Tockers explica que ela não deixou de estar forte, mas seus counters inviabilizam que ela apareça com frequência nessa atualização. Além disso, a campeã não tem tanto potencial para se sair bem em lutas, o que a deixa atrás de Ryze e Azir, por exemplo.

Perguntamos ao mid laner também sobre a expectativa para o confronto contra Sky, meio da Red Canids e ex-reserva de Faker, melhor jogador do mundo e tricampeão mundial pela SKT T1. Tockers disse que o considera muito inteligente e muito bom mecanicamente, e que está esperando bastante sim pelo duelo, que acontecerá no dia 25 de fevereiro. “Eu já sei mais ou menos o que vai acontecer, mas estou bem animado, sim, pra jogar contra ele. É sempre legal jogar contra uma pessoa nova aqui no CBLOL”, afirma. 

Sobre a série contra a INTZ E-Sports e a vitória do Exodia, Tockers foi assertivo ao dizer que quem faz uma equipe ser boa é sua staff, e não uma organização e suas ideias. “A gente manteve uma parte da comissão técnica e os jogadores somos nós cinco, então o segredo nunca foi a INTZ, e sim nós e a comissão técnica. Nós temos uma boa equipe, então não existe isso de organização — é sobre quem joga e a staff”, finaliza.