A Riot Games anunciou na última terça-feira (25) a criação do Rift Rivals, competição que estimulará a competição entre as regiões do League of Legends. O Brasil enfrentará a América Latina Sul e a América Latina Norte entre os dias 5 e 8 de julho e será representado pela Red Canids e pela Keyd Stars, campeã e vice-campeã do 1º split do CBLOL 2017.

O Mais e-Sports conversou com o mid laner da Red Canids, Gabriel “tockers” Claumann sobre a nova competição promovida pela Riot Games e revelou que gostaria de enfrentar times de outra região, mas que ao mesmo tempo entende a decisão da desenvolvedora em optar pelos confrontos já estabelecidos.

“Seria muito mais interessante jogar contra o NA, tanto pela proximidade, quanto pelo potencial de story line. No entanto, acho que não tem como discutir que NA vs EU é algo que todos os fãs querem ver, então eu entendo a decisão da Riot, mas eu realmente gostaria de poder jogar contra eles”, conta o mid laner.

Questionado sobre um possível favoritismo tanto da Red Canids, quanto da Keyd Stars, tockers fez questão de lembrar da Lyon Gaming e disse que o time da América Latina Norte “é tão forte quanto a gente ou a Keyd”, e foi sincero ao dizer que não tem muito conhecimento sobre os outros times, então preferiu não opinar sobre eles.

O mid laner da Red Canids ainda falou sobre os impactos que o desempenho da equipe no Rift Rivals pode causar na campanha da equipe no 2º split do CBLOL 2017, já que o torneio internacional será disputado durante uma pausa de duas semanas na competição mais importante do League of Legends brasileiro.

“Sempre pode atrapalhar (um resultado negativo), mas também pode ajudar por adquirir um novo conhecimento e ver o que outras regiões estão fazendo. Então pode ser bom, ou pode ser ruim, depende de como nós utilizaremos essa experiência”, concluiu tockers.

O Mais e-Sports também entrou em contato com a Keyd Stars, mas até o fechamento desta matéria, não obteve resposta.