Após ser derrotada pela Red Canids na semifinal disputada no último domingo (26), a paiN Gaming segue no jejum de chegar a final de algum split do Campeonato Brasileiro de League of Legends. A última vez que a equipe de Kami e companhia chegou à decisão da principal competição do League of Legends brasileiro, foi no 2º split de 2015, quando venceu a INTZ por 3 a 0 em final disputada no Allianz Parque, em São Paulo.

O Mais e-Sports conversou com o mid laner da paiN Gaming, Gabriel “Kami” Bohm logo após a derrota para a Red Canids, que escalou Yoda na rota do meio para substituir tockers, que estava com tendinite no punho direito. De acordo com Kami, a mudança no time adversário não afetou o plano de jogo da paiN e mudar o jeito de jogar por conta da alteração na Red seria falta de respeito.

“Pra gente em questão de plano de jogo não mudou nada (a alteração na mid lane da Red Canids). Nós consideramos tanto o Yoda, quanto o tockers, excelentes jogadores e seria uma falta de respeito absurda jogar de um jeito menos precavido só porque mudaram um jogador um dia antes. A única coisa que fizemos foi mudar algumas coisas no draft, baseado na champion pool dos dois, o que é natural. Mas, além disso, a gente tratou da mesma forma e não mudou o plano de jogo, tanto para Yoda, nem tockers”, contou Kami.

Quando perguntado sobre o que levou a paiN Gaming à derrota, o mid laner apontou a apatia da equipe como principal motivo para o revés e a paiN basicamente assistiu a Red Canids jogar a série.

“Faltou a gente jogar essencialmente, entramos para o jogo extremamente apáticos, foi uma paiN bem “cansada” na real. Falava-se tanto em protagonismo, mas acabou que não fizemos nada disso em nenhum jogo da série. Então acho que esse foi o principal problema da nossa derrota, nós basicamente assistimos a outra equipe jogar e a equipe que joga normalmente ganha, a que assiste não”, resumiu o jogador.

Já em relação ao que pode se aprender com a derrota para a Red Canids, Kami foi categórico ao dizer que a paiN Gamign precisa “dar uma acordada” e que a equipe precisa “parar de ser perdoar e levar mais a sério”.

“A gente tem que dar uma acordada. Não é mais o caso de “ah, estamos evoluindo”, após uma derrota. Jogamos mal pra caramba e precisamos identificar porque jogamos assim, temos que parar de nos perdoar e levar mais a sério, perdemos feio e não podemos levar isso pra frente”, afirmou o mid laner.