Em uma região como a Coréia do Sul, com atiradores como Kim “Deft” Hyuk-kyu, Kim “PraY” Jong-in e Bae “Bang” Jung-sik, é difícil avançar como novo talento da posição. É muita competitividade e qualquer erro leva a dura repreensão por parte da comissão técnica, dependendo até remoção da equipe.

Park “Ruler” Jae-hyuk conseguiu esse feito ao longo das últimas três temporadas, refinando seu jogo ao lado de Jo “CoreJJ” Yong-in. Passou de só se sentir seguro com Sivir e ser completamente banido na semi-final da LCK Spring 2017 para uma considerável expansão de champion pool e obviamente a conquista do título mundial.

Outros adcarries, no entanto, não tiveram a mesma sorte. Lee “Loken” Dong-wook e Oh “ohq” Gyu-min são exemplos de jogadores que  –  em certos períodos  – foram vistos como estrelas em potencial, com estilos agressivos e mecânicas apuradas. Eram tidos como os novos Gu “imp” Seung-bin por alguns, mas acabaram sendo esquecidos em ligas estrangeiras. Na “Pilot” Woo-hyung e Oh “MaHa” Hyun-sik, no que lhes concernem, não são vistos com grandes olhos há um tempo e francamente são os próximos na lista de corte.

Com Park “Teddy” Jin-seong, no entanto, você esquece isso. Simplesmente rabisca essa ideia, amassa e joga no lixo. Desde que apareceu pela primeira vez, ele foi direto para os holofotes. E isso é particularmente notável porque a estréia pela Jin Air Green Wings foi na KeSPA Cup  –  um torneio de menor interesse  –  de 2016, frente a times mais experientes na forma de Longzhu e ROX Tigers e ainda assim atraiu olhares pela capacidade de distribuir dano e se posicionar.

É verdade que inicialmente ficou a impressão de que Teddy era apenas um mono-Jhin: dos seis games jogados no torneio, quatro foram com o personagem. Mas assim que a primeira etapa da LCK 2017 começou, tornou-se evidente que a habilidade do atirador se espalhava para outros campeões. Mostrando maestria também com Ashe, Varus e Ezreal, Teddy exibiu números formidáveis para quem estava no segundo pior time do split. Ele foi o quarto melhor laner (3.6 CSD10), teve o quarto maior Dano por Minuto (522) e foi o adcarry com terceira maior Participação em Abates (69.4%). Já nessa época a Jin Air dependia dele para carregar.

Teddy em partida da KeSPA Cup (kenzi)

O time melhorou na temporada de verão  –  indo de nono para sexto lugar, quase em posição de playoffs  – , mas estranhamente o desempenho de Teddy deu uma guinada para baixo. Seus números caíram e mesmo em vitórias, ou quando produzia um KDA alto, a quantidade de dano infligido era baixo. Nessa época, ficou a cargo do talentoso meio Lee “Kuzan” Seong-hyeok ser a principal arma da equipe esverdeada. Então pronto, é assim que acabou a breve carreira de Teddy, certo? Ele entrou para a lista de adc’s esquecidos e nunca mais foi visto no palco coreano, sim?

Muito pelo contrário. Com a saída do parceiro de longa data No “SnowFlower” Hoi-jong para a Turquia, Teddy se viu ao lado de Kwon “Wraith” Ji-min para o ano de 2018. O suporte veio da reserva da Samsung Galaxy e antes disso da SK Telecom T1 K  – e ganhou fama por ajudar Kang “Ambition” Chan-yong na adaptação para a selva  -, então era a oportunidade da vida do atirador de se desenvolver ainda mais. Lee “Grace” Chan-ju e Yoon “Justice” Seok-joon, dois novatos, também foram adicionados a line-up: era a JAG apostando suas fichas no potencial de carry de Teddy.

Logo de cara, o time comandado por Han “H-Dragon” Sang-yong teve a árdua tarefa de enfrentar a atual campeõa mundial KSV, que dois dias antes derrotara com tranquilidade a poderosa Kingzone DragonX. Destemido, Teddy selecionou Vayne ignorando o fato de ser uma escolha incomum. O early game foi difícil e logo ele e o time se encontraram num déficit de 5k de ouro. Mas o show começou aos 28 minutos e o jovem atirador passou a acumular abates, dando “Rolamento” para frente e duelando com quem quer que aparecesse. Era certamente ele quem dava as chamadas àquela altura.

No fim das contas, a perícia de Ambition em usar o “Vamos pular!” do Zac foi muito grande e Teddy  –  menção honrosa também para o Azir de Grace  –  não conseguiu ganhar o primeiro set. Mas era literalmente uma luz verde acesa a ser levada para o embate seguinte, contra a SKT.

Dois dias depois, o desafio chegou e a série teve uma das melhores performances de atirador dos últimos tempos. Contra o melhor jogador da história, Teddy carregou sozinho a Jin Air e mostrou a razão pela qual tantos recursos dentro de jogo são investidos nele. No primeiro mapa, conseguiu vantagem de eliminações com inteligentes pickoffs em rotação. Mesmo perdendo, ficou em primeiro em Dano Total a Campeões com 41.4k (1,3k na frente de Bae “Bang” Jun-sik e 18k na frente do segundo melhor companheiro).

No segundo, repetiu o pick de Caitlyn e dessa vez ficou com o placar de 12/0/4, novamente liderando o gráfico de dano com 64.8k, 17k a mais que Bang. Foi incrível como ele se posicionou na linha de trás – sempre aproveitando o enorme alcance do personagem -, assim como teve agilidade para desviar do “Sobrecarregar” do Ryze de Lee “Faker” Sang-hyeok em todas as lutas.

E na hora decisiva, optou por Sivir num jogo onde bateu recordes de CS e tempo: farmou 1465 minions, teve 15.58 de CSPM e registrou o mais longo game da história, com 94 minutos e 30 segundos. Foi basicamente uma corrida para limpar as ondas inimigas e, no tempo certo, avançar à base da SKT para finalizar o jogo. Foi lento, foi complicado, mas no final foi a primeira vitória da temporada. Ao fim, Teddy casualmente virou o rosto para Wraith para cumprimentá-lo e depois, quando os treinadores entraram na cabine, levantou os braços em comemoração.

Wraith e Teddy se cumprimentando após vitória contra SKT (OGN)

Mais tarde  –  em entrevista pós-partida – ele contou que, mesmo com a partida durando tanto tempo, ele não se sentiu cansado. “Meu desejo de vitória era muito, muito forte”, ele disse, e por isso foi capaz de focar no jogo e defender a base. Se fosse um adcarry comum, talvez com sessenta minutos ele já tivesse desistido. Mas ele jogou sem pestanejar e isso mostra o quão devoto ele é à competição.

Outra característica que distingue Teddy dos demais é como ele se comporta nas diferentes situações que o jogo lhe apresenta. Dependendo do campeão, ele consegue adaptar o estilo para mais agressivo – como quando joga de Vayne e desvia das habilidades indo para frente – ou para seguro, como quando joga de Jhin e aproveita o range do “Florescer Mortal” e da “Aclamação” para virar fights. Isso, contudo, não o impede de dar Flash para frente quando enxerga o momento ideal e o torna um dos raros indivíduos que joga no limite. Em muitos quesitos, ele se assemelha bastante a Jian “Uzi” Zi-Hao.

Esse ano, as estatísticas de Teddy voltaram ao topo, ficando atrás apenas de Deft nos quesitos lane e dano. Curiosamente, quando se tornou profissional Teddy revelou ser fã do atirador da kt Rolster. Ele o tinha como inspiração e assistia replays dele para incorporar o estilo de jogo. Esse ano eles já se enfrentaram e não foi muito bonito para a Jin Air, mas se Teddy continuar aperfeiçoando a gameplay e melhorando junto do time, ele certamente alcançará o ídolo e o patamar de lenda da posição.