(Foto: Divulgação/Riot Games Brasil)

Nesta quarta-feira (04), a Vivo Keyd jogará o Rift Rivals 2018, campeonato de League of Legends entre as regiões latino-americanas. A equipe defenderá, em parceria com a KaBuM, o título de campeões da primeira edição, conquistada em 2017 pela Keyd ao lado da Red Canids.

O caçador da equipe, Gabriel “Revolta” Henud, conversou com o Mais e-Sports sobre as expectativas para o campeonato. Confira a entrevista na íntegra:

Qual é a diferença dessa Keyd para a do ano passado, quando vocês conquistaram o primeiro título do Rift Rivals?

A diferença é total. São players totalmente diferentes, é um time muito mais entrosado do que o de antigamente e somos um time muito mais experiente. Você pensa em campeonato internacional no Brasil, não tem como não pensar na gente, INTZ de 2016. Temos muita experiência sobre isso e trazemos muita bagagem para esse campeonato.

Vocês estão de olho em alguma equipe em específico no Rift Rivals?

Historicamente, a equipe mais difícil é sempre do LAN [América Latina Norte]. A antiga Lyon, que agora é Rainbow7, é muito boa. Eles são muito metódicos e jogam de um jeito muito parecido com a gente, por isso sempre dá muito sangue quando você vê nosso time contra o deles. Mas ano passado o LAS deu mais trabalho com o deles, e eu acho que devemos tomar um cuidado maior com o LAS, que não tomamos no ano passado.

Você acha que o Rift Rivals vai ser bom para a Keyd e para o CBLOL?

Eu acho que quanto mais experiência internacional no cenário melhor, mesmo que seja contra regiões menores, como LAS, LAN e mesmo o Brasil, então eu acredito que vai ser bom pra a liga e também para o público.

Como vai ser trabalhar em conjunto com a KaBuM?

Se tivermos a mesma abordagem que tivemos no ano passado, que foi Red Canids e Keyd se ajudando muito, vai ser muito positivo pros dois lados, porque nos ajudamos muito. Se acontecer assim, vai ser muito bom para os dois times.

O que vocês farão para defender esse título?

Ano passado a gente teve muita dificuldade contra o LAS, tanto nós quanto a Red, porque o estilo de jogo deles é muito agressivo, eles ignoram muita coisa básica do jogo e dá certo pra eles. Então eu acho que agora temos que tomar muito cuidado com eles pra não cair na armadilha deles, e assim defender nosso título.

Veja também: Riyev diz que está ansioso para jogar contra Tierwulf no Rift Rivals: “Vai ser legal bater nele”