Conversei com o jogador Gabriel “Revolta” Henud. O superstar Jungler da INTZ é visto como um dos melhores jogadores do país e lidera a equipe da INTZ no Wild Card Invitational de 2016.

Ano passado, tivemos a mesma equipe (com os mesmos jogadores) na competição. Mesmo com o favoritismo, a INTZ perdeu na final para o time turco em uma série onde tivemos uma série de polêmicas como jogadores turcos com celular no Bolso e os gritos da torcida quando a INTZ tentava fazer um Baron ou Dragon.

A INTZ hoje é o Brasil no Wild Card e para isso, o Revolta conversou um pouco conosco.

LOLNews: Qual a maior diferença dessa INTZ para a INTZ que jogou o Wildcard no ano passado?

A maior diferença é a experiencia. Hoje somos muito mais decisivos tanto dentro como fora de jogo, oque facilita muito a comunicação e a tomada de decisão.

LOLNews: Ano passado a INTZ era um time onde você era o único com experiência no time, podemos falar que hoje é um time com 5 jogadores experientes?

Acredito que sim. Continuo tendo um pouco mais de experiencia pelo tempo que jogo, mas os meninos também ja vivenciaram bastante coisa.

LOLNews: Jogando pela INTZ, a única série que você perdeu foi a final no Wild Card do ano passado, está mais confiante para esse ano?

Somos um time bem confiante de uma forma geral, não creio que esse Wild Card vá ser fácil, mas acho que vamos sair vitoriosos.

LOLNews: Na final do CBLOL vocês jogaram contra a equipe favorita e agora no Wild Card vocês são os favoritos. Como você lida com essa pressão?

Bom, nós não ligamos pra favoritismo e tentamos de toda forma ignorar isso. O Wild Card vem primeiro com a “fase de grupos” e é ai que vamos testar as coisas e tentar estudar os times.

Essas foram as palavras de Gabriel “Revolta” Henud. Siga o LOLNews no Twitter para mais informações do andamento do Wild Card Invitational 2016!

Leia: Equipes do Wild Card sofrem com problemas de estrutura

Leia: Brasil poderá ter 2 times no Mundial de 2016