A Remo Brave conquistou no último domingo (4) o título da Brasil Game Cup de CS:GO ao vencer CNB por 2 a 1 (16-4 na Train, 16-3 na Cache e 16-13 na Dust2). Com o título, a equipe paraense levou para casa um prêmio de 15 mil reais e colocou seu nome na história da BGC, já que este foi o primeiro campeonato de CS:GO do evento.

O Mais e-Sports conversou com o CEO da Remo Brave, Tiago “Thongar” Sans sobre a conquista inédita, sobre os problemas enfrentados durante a decisão e também sobre as perspectivas de futuro para a line-up de CS:GO da equipe.

De acordo com Thongar, nem eles esperavam conquistar o título da forma como foi, já que este foi o primeiro campeonato no palco de praticamente todos os integrantes da line-up.

“Nós nos preparamos para o campeonato da melhor maneira que conseguimos, além de termos realizado uma mudança na line-up. Nosso confronto contra a CNB na fase de grupos teve três OTs, então qualquer resultado era possível na final, porém, nossa equipe conseguiu mostrar um repertório que a própria CNB não desconhecia, que foi o que fez a diferença”, conta o diretor.

Questionado sobre os problemas de logística e também sobre os problemas técnicos que interromperam a semifinal várias vezes, o CEO da Remo Brave foi categórico ao dizer que esse tipo de situação não pode acontecer nos e-sports.

“Vários pontos do campeonato não condiziam com a política mínima de participação da ABCDE e isso mostra para o público que há a necessidade de uma regulamentação de fato, afinal a BGS é o maior evento da América Latina e muita coisa ficou faltando. Na semifinal, as duas equipes foram prejudicadas, perde-se o ímpeto, quebra o ritmo de jogo, prejudica o espetáculo, a transmissão de TV e vários outros pontos. Nenhum jogador merece ficar seis horas em cima do palco”, critica Thongar.

O diretor da equipe paraense ainda revelou que a delegação da Brave e das outras equipes participantes da BGC ainda tiveram problemas com transporte, alimentação e hospedagem. Além dos monitores utilizados na competição não serem de 144hz, fato este muito criticado pelos jogadores de todas as equipes que disputaram a BGC.

Thongar ainda disse que a organização pretende investir ainda mais na line-up de CS:GO pela maneira como a equipe tem jogado, além dos resultados obtidos até o momento, como a semi da ESEA #22, conquista da liga profissional da Gamers Club, entre outros. Por conta disso, os investimentos virão ainda mais fortes e a Remo Brave estará focada em campeonatos maiores nesse final de ano e em 2017.

A line-up da campeã da Brasil Game Cup de CS:GO é composta por:

Remo Brave

Rodrigo “nkzaj” Martins
Fernando “F11” Souza
Vinícius “zam” Godoy
Bruno “shz” Martinelli
Lucas “drtt” Rodrigues