- Publicidade -

Após mais uma derrota dos blumers, o Mais e-Sports teve a oportunidade de entrevistar Rafael “Rakin” Knittel, o mid laner da CNB.

No dia em que a entrevista foi realizada, Rakin ainda não havia anunciado a sua ida para a reserva. Ele comentou sobre a sua performance individual até o momento no CBLoL e como foi enfrentar Sky e mandou um recado para todos os seus fãs. Confira:

Se inscreva no canal do Mais e-Sports e não perca os próximos vídeos:

Você jogou com seus dois melhores campeões, Vladmir e Zilean, a ideia era ficar na zona de conforto?

“O intuito por trás desses dois picks, principalmente o segundo [Zilean], foi mais realmente para eu ficar na minha zona de conforto. Eu sinto que no stage¹ eu estou ficando totalmente travado. Então eu senti que se eu pegasse esse campeão, eu ficaria mais de boa. Só que infelizmente para a nossa composição, e contra a composição deles, acabou sendo muito contraintuitivo. O Ryze consegue pressionar o Zilean muito facilmente, acabei sendo solado, o Sky jogou muito bem o match-up, conseguiu controlar a wave muito bem.
Meu campeão ficou meio que inútil durante o jogo. A função seria meio que jogar em cima do pbO e eu só controlar a wave do mid. Foi uma call minha, mereço a responsabilidade por isso e acabou não sendo uma call muito boa.”

Como foi jogar contra o Sky? Você achou um oponente difícil?

“Sinceramente, eu sinto que eu cometi muitos erros que ele não abusou. Ele é um jogador bom. Ele entende muito do jogo. O conhecimento dele do jogo é fenomenal, ele sabe onde ele tem que estar e a hora que tem que estar. Ele joga muito bem com o jungler dele e com o suporte dele. Mas mecanicamente eu sinto que tem muito brasileiro que ainda está acima do nível dele. Mas ele é muito inteligente, um dos mais inteligentes que já tive o prazer de jogar contra.”

Foto: Riot Games

Após uma pausa tão grande, como está sendo a volta ao competitivo? Sentiu que a rotina é pesada?

“No começo a rotina foi bem difícil. Chegou em um momento em que a gente acordava às 8h da manhã e ia dormir 1h da manhã. Jogando o dia inteiro. Treinando o dia inteiro. Era de 16 a 17 horas de LoL por dia. Era algo absurdo! Mas a gente acostuma com a rotina depois e dá uma diminuída. Para mim a rotina não é um problema. Os treinos não são o problema. Tudo para mim é algo que eu quero continuar fazendo, jogar LoL é algo que eu amo fazer. Mas por alguma razão no stage, eu posso falar por mim, estou tendo um bloqueio mental muito grande e sinto que o time não está se encaixando muito bem como poderia estar se encaixando.”

Gostaria de deixar um recado para seus fãs?

“Estou com o rabo entre as pernas, né? Para ser sincero, né? Depois de tudo o que está acontecendo. Eu sei que estou jogando mal. Acho que foi um dos piores jogos que eu tive no competitivo (esses dois últimos) e não estou conseguindo exercer meu gameplay. Não tem muito o que fazer a não ser assumir esse erro e continuar trabalhando em cima dele. Me lamentar, dar qualquer tipo de desculpa, não adianta de nada. É trabalhar duro e é isso aí. Obrigado a todos que continuam apoiando mesmo nesta época.”

stage¹: Rakin utiliza o termo “stage” para se referir aos jogos presenciais no estúdio.

Acompanhe a tabela, datas e horários dos jogos e tudo mais do CBLOL na Cobertura do Mais e-Sports.

 *Entrevista realizada em parceria com Evelyn Mackus, repórter do Mais E-Sports.