Desde a última quinta-feira (06), o All-Star 2018 vem sendo sediado em Las Vegas nos Estados Unidos e o evento conta com representantes brasileiros como o meio Rafael “Rakin” Knittel quem conversou com o Mais e-Sports e comentou o seu futuro e o evento. Confira:

O que você está achando de poder estar aqui no All-Star e poder conhecer jogadores do mundo todo?

Rakin: Está sendo muito legal essa atmosfera de poder trocar ideia com todo mundo, jogar contra o Peanut por exemplo, combinar picks. É uma relação muito diferente com os players, saí para um cassino com o Jiizuke, joguei golfe com o Faker, é muito da hora.

Dois anos atrás provavelmente você não imaginava que iria receber tanto voto para chegar no All-Star mas sua fanbase explodiu bastante nos últimos anos. Como você reagiu a isso, qual foi o motivo?

Rakin: Eu não sei, só fui eu mesmo, continuei jogando, fiz minhas lives, não esperava nada disso. Eu só esperava ser um jogador mas tudo alavancou depois da BigGods, fui para a paiN, CNB e estou aqui agora né. Daqui a pouco novidades em breve (risos).

Nesse ano você teve um momento meio ruim no primeiro split mas você recuperou e o segundo split vocês tiveram um momento que foi o auge daquela line da CNB. Como você enxerga esse ano?

Rakin: Foi conturbado, teve muitos altos e baixos, mas é isso que dá uma história boa. O herói está derrotado porém do nada começa a jogar bem, aumenta a gameplay mas eu acho muito legal essas variações.  Serviu para mostrar que sou um jogador bem versátil, consigo me adaptar ao meta, joguei de Dr. Mundo top (risos)… foi um ano muito bom, gostei de termos inovados o cenário desse jeito.

Foto: Riot Games

Teve uma época que você estava muito mal e todo mundo conseguiu perceber isso mas você passou um tempo fora e voltou jogando muito bem, disse que deu um reset na sua cabeça. Hoje em dia, como você está mentalmente?

Rakin: Estou 110%, tenho um relacionamento saudável com a minha noiva, feliz para caramba e agora em 2019 algo muito da hora vai acontecer, a melhor coisa da minha carreira disparado, não posso falar o que é mas estou muito ansioso para falar, daqui uns 2-3 dias deve anunciar, vocês vão gostar.

Você acha que se continuar jogando, é tranquilo não precisar ir para uma gaming house, poder continuar morando na sua casa. Você pensa nisso?

Rakin: Sim, eu acho que o Esports é algo muito flexível nesse quesito, desde que você esteja tendo uma performance boa, demonstrando muito esforço e treinando bastante, não importa o que você esteja fazendo no seu tempo livre, onde você descansa, em qual colchão, o relevante é apenas o trabalho que você põe na mesa.

Para finalizar, aqui em Vegas, já chegou a apostar um pouquinho?

Rakin: Nem fala disso (risos), eu apostei, cheguei a ganhar e achei muito da hora e pensei ‘Pô, vou jogar para  ganhar mais’ mas acabei perdendo tudo e é assim que os cassinos lucram (risos).