A segunda temporada da liga de Rainbow Six Siege do Mad Hatter, torneio intermediário do Circuito Feminino BBL, entrará na terceira rodada neste sábado (10). Já vai ser a metade final da fase regular e a classificação geral ficou bem mais acirrada após os confrontos pelo Dia #2 – que colocaram a No Org (antiga RedWolf e-Sports) na liderança, deixando para trás a Black Dragons.

Mesmo no topo da tabela, a line-up liderada por Amanda “mand” Gusmão mantém os pés no chão – como disse em entrevista exclusiva ao Mais Esports a própria capitã. “Vamos tentar manter a cabeça no lugar e nunca perder o foco. Sempre entramos no jogo com o pensamento de não levar tão a sério (pra não perder o foco) e, independente do resultado, estar ali também pra se divertir.”

Claro que perder o posto de primeiro lugar não é nada agradável, mas a BD também demonstra muita tranquilidade com o cenário atual. Como falou Myllena “Myss1” Almeida, só trabalho colocará a equipe novamente na liderança – ainda mais após não terem jogado no último final de semana. “Iremos manter o foco para buscar o topo novamente, com toda certeza! A nossa pausa foi necessária e importante para a line.”

Até mesmo pelo momento que o campeonato atravessa, a postura dos times está bem mais reflexiva. É hora de se olhar no espelho antes de se preocupar com qualquer adversário.

A Team Brave Soldiers é prova disso: antes apontada como equipe para figurar pelo menos no Top-3 e quebrar com a polarização protagonizada por Black Dragons e No Org, a equipe está apenas na quinta colocação.

Segundo Bruna “Youth” Schneider, a falta de entrosamento por conta das alterações que a line-up sofreu nos últimos tempos é uma das causas. “Nós, como um coletivo, estamos nos adaptando ainda. A line veio sofrendo muitas mudanças – desde posição e players, como eu, que estou há quase dois meses com as meninas e isso influenciou muito.”

Diante das algozes BD e No Org, a TBS nunca emplacou uma vitória até aqui no Mad Hatter. Youth analisou “que falta acertarmos os erros bobos que viemos cometendo nos campeonatos e nos treinos. Nosso entrosamento, principalmente, mas acredito que seja algo mutável com tempo e esforço.”

Quem mostrou resultados positivos ao decorrer da segunda temporada do Mad Hatter foi a line-up da Resilience e-Sports, que antes defendia a Probono e-Sports. A equipe venceu a primeira rodada e foi vice-líder do Dia #2. A evolução foi significativa uma vez que esse mesmo time caía logo na primeira fase da maioria das rodadas da primeira season.

Para Nathalia “Naath” Penteado, “é muito gratificante ver que nossos treinos e esforços estão dando resultados, sabe? Nossa meta é continuar nesse caminho e sempre sonhando alto, mas com os pés no chão. Conseguimos provar que viemos pra dar trabalho.”

Até mesmo o segundo lugar na última rodada mostrou como a RSL realmente vem dando trabalho. Na ocasião, derrota por 2 a 1 para a No Org numa série bastante disputada. Nas palavras de Naath, “foram os pequenos detalhes que não deixaram a gente ganhar mais uma vez. Pequenos detalhes que fizeram grande diferença numa rotação, num cover de plant por exemplo. Sempre estamos dando nosso máximo pra corrigir esses pequenos erros.”

De acordo com a jogadora, a Resilience quer se firmar de vez no pelotão de cima do Mad Hatter. Atualmente na quarta colocação, o time sabe que pode conseguir um melhor posicionamento. “Queremos continuar no Top-4. E, no próximo presencial, conquistar cada vez mais espaço. Quem sabe não dar uma ‘beliscada’ nas finais da temporada também.”

Enquanto isso, na parte de baixo da tabela, a Team Vortex vem se segurando na sexta colocação. É a última posição que dá vaga direta para o Queen of Hearts, ou seja: não pode dar moleza para a concorrência que vem logo atrás.

Fernanda “n4ndok4” Machado já deixou bem claro que o objetivo dela e de suas companheiras é ganhar uma gordurinha pensando na classificação para o torneio premium. Sendo assim, “o nosso foco é alcançar o quinto colocado e ultrapassar pra se manter seguro. Qualquer vitória é importante e nós estamos cientes disso. Estamos mais calmas in-game e com táticas ousadas. Vamos fazer de tudo para conseguir essa melhoria na tabela.”

Até mesmo pegando a derrota para a Team Brave Soldiers na útima rodada, n4ndok4 percebeu que as pro players da Vortex “estavam um pouco perdidas e com receio de rushar bomb ou partir pra trocação mesmo. Muitas vezes chegamos no bomb e não conseguimos plantar por causa do Smoke utilizando o gás tóxico. Cada derrota serve como aprendizado e dessa nós aprendemos muito de verdade.”

CLASSIFICAÇÃO GERAL

AGENDA E TRANSMISSÃO

As partidas da terceira rodada do Mad Hatter vão ocorrer neste sábado (10) a partir das 16h (de Brasília), com transmissão desde a primeira fase do chaveamento – e de forma sorteada. Importante destacar que um jogo será transmitido enquanto os outros rolam paralelamente sem live. A partir das semifinais que todos os confrontos serão transmitidos.

A transmissão ocorre nos canais oficiais da BBL, com narração de LittleVelma e comentários de Victória Rodrigues ou Filipa Antunes – dependendo da escalação do dia.

SEMPRE BOM LEMBRAR

O Mad Hatter é a etapa intermediária do Circuito Feminino BBL e que dá vaga para o Queen of Hearts, competição premium com premiação total de R$ 23 mil. No caso de R6, os jogos serão sempre aos sábados a partir das 16h (de Brasília). Teremos duas temporadas ao todo, com dez finais de semana de confrontos.