Vinícios “PKL” Coelho está confiante para levantar mais um troféu em 2019. Campeão da edição de 2018 da GC Masters vestindo a camisa da Team Wild, o jogador que hoje representa a paiN chega a nova edição do torneio querendo calar quem duvida de seu time. Acostumado a ser favorito, sua equipe hoje não está entre as mais cotadas para levantar a taça, coisa que motiva o capitão.

“Com certeza [não ser considerado favorito] nos dá uma motivação a mais. Desde que voltei para o Brasil estou acostumado a chegar nos eventos como favorito e como nesse não estão colocando a gente como favorito, realmente faz com que fiquemos mais motivado para dar a volta por cima”, comentou o jogador em entrevista ao Mais Esports.

EXPERIÊNCIA INTERNACIONAL E MUDANÇAS NA LINE EM 2019

Somente em 2019, PKL e a paiN já tiveram duas oportunidades de competir em torneios internacionais. Em abril, sua equipe participou da StarSeries Season 7 na China, onde enfrentou times como FaZe Clan e BIG. Além disso, também jogou a Aorus League em Buenos Aires, Argentina, torneio onde o capitão de 24 anos foi o grande destaque e ajudou seu time a levantar mais um troféu.

“Esses eventos presenciais que participamos neste ano nos ajudam principalmente no fator experiencia. Jogar longe de casa onde todos são acostumados é sempre diferente. Na Argentina tive uma boa performance e apesar de ter cometidos alguns erros básicos, fiquei feliz com meu desempenho”.

“Me senti bastante confortável no campeonato, estava tomando decisões boas com bastante tranquilidade e liderando meu time durante as partidas”, acrescentou.

Campeão de quase tudo em 2018 com a Team Wild, PKL viu o time de desfazer no fim do ano após as saídas de Lucas “destiny” Bullo e Denner “KHTEX” Barchfield. Para seus lugares, a na época ex-Team Wild contratou Rodrigo “biguzera” Bittencourt e Maxcel “maxcel” Rocha. Menos de dois meses depois, agora já vestindo a camisa da paiN Gaming, maxcel deixou o time para a entrada de Arthur “f4stzin” Schmitt, algo que precisava ser feito para que o time encontrasse um equilíbrio na opinião do capitão.

“Após a entrada do maxcel e do bigu, eu senti necessidade de um jogador mais agressivo no time. Estávamos com um time bem passivo e era necessária a mudança. Com a entrada do fast no lugar do max, creio que nós encaixamos melhor e que encontramos o equilíbrio necessário para um time funcionar bem”, afirmou.

A GC MASTERS III

Chamada carinhosamente de major brasileiro, a GC Masters é para PKL o maior torneio do cenário brasileiro de CS:GO.

“Com toda certeza a GC Masters é o maior evento para os brasileiros no ano, pelo simples fato de que é o único que reúne os melhores times do brasil em um evento presencial”.

Mesmo elogiando o torneio, o capitão da paiN Gaming também, criticou as mudanças na premiação, que deixaram de ser distribuídas nas etapas mensais para aumentar o montante do torneio semestral e da GC Masters.

“Eu particularmente não gostei muito da retirada das premiações. Quase aconteceu algo que eu tinha imaginado no começo, que era um time ser campeão de uma etapa e ficar de fora do evento e consequentemente ficar sem premiação, caso que quase aconteceu com a Team Reapers”.

Com o objetivo de levantar o troféu da GC Masters pela segunda vez na carreira, PKL afirma que sua equipe está bastante confiante.

“Chegamos na GC Masters com bastante confiança, principalmente por se tratar de um evento presencial. Para conseguirmos sair de Sorocaba com o título, precisamos estar 100% focados em todos os jogos, reduzir ao máximo nossos erros e claro, acertar os headshots”, finalizou.