Equipe de CS:GO da paiN em sua apresentação (Foto: paiN Gaming)

A paiN Gaming receberá mais uma chance de disputar a ESL Pro League. Isso porque a equipe foi convidada para substituir a Furious Gaming no qualificatório fechado para a liga, que começa no próximo sábado.

A chance apareceu porque a Furious, que foi chamada inicialmente, está na China, onde disputou a WESG. Os argentinos acabaram eliminados nas oitavas de final pela Windigo Gaming, que também bateu a MIBR.

Com isso, a paiN herdou a vaga e jogará o quadrangular junto de All Knights, Detona Gaming e Sharks Esports. Disputada online, a competição tem o formato de eliminação dupla e séries melhor de três. A decisão será md5 e o time que vier da upper bracket terá um mapa de vantagem.

Os confrontos já foram definidos: a paiN enfrenta os chilenos da All Knights às 14h do sábado, enquanto Detona e Sharks se encaram às 17h. A final lower está marcado para às 20h.

No domingo serão realizados os confrontos restantes. A final upper acontece às 14h e a decisão lower às 17h. A grande final está marcada para às 20h.

Além da presença na competição, a paiN tem outra novidade: Arthur “f4stzin” Schmitt na vaga de Maxcel “max” Rocha. A mudança ainda não foi oficializada pela organização, mas o ex-Evidence Esports já estreou pela equipe na Alienware Liga Pro da Gamers Club.

O vencedor fechará o grupo latino-americano da Pro League, que até agora não conta com nenhum brasileiro. A argentina Isurus Gaming e a colombiana FULL SEND garantiram as vagas via LA League, enquanto a Team Jaguar venceu na seletiva da América Latina norte (que não podia ser disputada pelos brasileiros).

Reformulada, a nona temporada Pro League começa em abril e será disputada presencialmente nos Estados Unidos. Além das representantes latinas, a competição ainda tem as brasileiras MIBR e INTZ eSports, que, por serem remanescentes na liga, disputam os grupos com times norte-americanos.