Uma vertente dos esportes eletrônicos nos dias atuais são os streamers, jogadores casuais ou profissionais que transmitem suas partidas ao vivo para seus seguidores em uma plataforma online. No Brasil, grandes streamers como YoDa, Jovirone, Jukes, aXt, yetz fizeram com que um pai e filho de Santos (SP) se inspirassem e para se destacar entre tantos outros, passaram a divulgar suas lives fazendo cospobre, o tradicional cosplay só que sem tantos recursos.

O resultado disso foi que Ayrton Carlos da Silva Santana de 18 anos e seu pai William Pereira Eugênio de 34 anos, caíssem no gosto da galera, principalmente no grupo “Ilha da Macacada” no Facebook. Com muito bom humor e criatividade na hora de divulgar sua stream, pai e filho já fizeram mais de 30 cospobre e tudo isso começou com uma “sugestão” recebida em uma de suas primeiras lives.

“Em uma de nossas streams, o pessoal falou que a gente parecia o Gragas e o Fiddlesticks e pediu para que a gente imitasse os personagens. Aí a galera achou legal e com isso começamos a fazer o cospobre de vários outros campeões e pretendemos continuar fazendo”, revela William.

Já a ideia de fazer a stream juntos partiu do filho, Ayrton, que disse que sempre quis ser “dessa área” e a reação do público é um combustível para que eles continuem nessa caminhada, já que segundo ele “os espectadores apoiam bastante, desde a divulgação com nosso cospobre nos grupos até o momento em que fechamos a stream”.

“Queria que meu pai fosse assim também”

Não foram poucas as vezes que esse tipo de comentário foi feito ou nos vídeos de divulgação ou até mesmo no chat da stream da dupla. Questionado sobre o sentimento de ler esse tipo de reação do público, William disse entender e que por isso que sempre saúda seus viewers com um “sinta-se adotado pela família Tio Will e tek”.

“Eu entendo essa reação deles porque eu também queria que meu pai jogasse alguma coisa comigo. Eu sempre joguei com a molecada e eles gostavam de ter alguém mais velho que cai na zoeira com eles, isso porque é muito difícil nos tempos de hoje um pai parar para jogar algum jogo com seu filho e é por isso que jogo com os meus, inclusive com a minha filha de 8 anos. Outra coisa, quando eles me falam isso eu acho importante sempre tentar passar para eles que ser pai é assumir um monte de responsabilidades”, ressalta o Tio Will.

Sonho, inspiração e apoio

Mas nem tudo são flores. Mesmo com o sucesso que a dupla vem tendo na hora de “aparecer” para o público, ainda faltam equipamentos como microfone e webcam para trazer mais qualidade aos seus seguidores. Isso porque o “Tio Will” está desempregado e os dois fizeram um investimento ao apostar no sonho de se tornarem um dos maiores streamers do Brasil, serem reconhecidos e ter a stream como profissão.

Ao serem perguntados sobre quem os inspirou para começar nessa carreira, a dupla foi categórica ao dizer que eles se espelham em todos os agora “colegas de profissão”, mas tem muita vontade de conhecer os streamers Felipe “Yoda” Noronha e Bruno “aXt” Habitzreuter e também o jogador da Red Canids, Felipe “brTT” Gonçalves.

“Fizemos um investimento apostando no nosso sonho que é nos tornarmos streamers grandes no Brasil, sermos reconhecidos e conhecer todos os jogadores e streamers do League of Legends, porque a gente gosta de todos mesmo. Esperamos conseguir apoio e parceiros para que a gente consiga tornar isso realidade”, conta Ayrton.

Para quem ainda não conhece o trabalho de Ayrton e William, segue um vídeo com um compilado de alguns “cospobres” que a dupla já fez:

E para acompanhar a stream basta acessar o canal deles na Twitch!