Quase quatro meses depois do anúncio da Overwatch League, Nate Nanzer, o diretor global de e-Sports do Overwatch, participou de uma coletiva de imprensa no Parnas Hotel, na Coréia do Sul, nesta quinta-feira (23) para comentar sobre a liga.

A ideia principal da Overwatch League é fazer com que o cenário competitivo do jogo seja uma liga no estilo dos esportes tradicionais, como basquete e futebol. Entretanto, ainda não foi decidido se os times carregarão os nomes das cidades que representarão ou não.

As organizações e jogadores terão estabilidade, tal como salário, patrocínios e contratos.

A realização

A liga será introduzida inicialmente nas maiores regiões em algum momento do terceiro trimestre de 2017 — entre julho e setembro — e contará com um sistema de assistir partidas de e-Sports ao vivo, checar os perfis dos jogadores e mídia dentro do jogo. No que se refere a presenciais, o local com maior foco é a Coréia do Sul por ser o berço do e-Sports e já possuir diversos estádios com infraestrutura para a realização destes eventos, mas outras regiões estão sendo estudadas e algumas serão adicionas a partir da demanda. A final da Overwatch League não será na BlizzCon como esperado, mas sim em uma cidade diferente a cada ano.

Foto: Inven

Apesar de a Overwatch League só chegar no terceiro trimestre deste ano, apenas em 2018 haverá calendário regular e temporadas definidas.

Os jogadores não serão draftados. Nanzer afirmou que a Blizzard evitará que equipes já formadas se separem em virtude da Overwatch League. Outro ponto importante é que apesar de ser uma liga baseada em regiões, não haverá restrição de nacionalidade e sexo dos jogadores, ou seja, um time poderá ser misto e ter pessoas da França e Brasil ao mesmo tempo. Confira o vídeo de divulgação da Overwatch League:

https://www.youtube.com/watch?v=2-p5V4nQU5k

Leia a entrevista completa no Reddit.