A fase da OG realmente é a melhor possível. Uma semana depois de vencer o The Manilla Major, o time formado por Miracle-, Cr1t-, Fly, MoonMeander e n0tail venceu com autoridade a grande final da ESL One Frankfurt ao bater a Natus Vincere por 3 jogos a 0. Com o título, a OG faturou uma premiação de 125 mil dólares e se credencia como a principal favorita para vencer o The International, principal competição de Dota 2 no ano, que acontece entre os dias 8 e 13 de agosto na KeyArena, em Seattle, Estados Unidos.

O Mais e-Sports acompanhou todos os jogos da grande final da ESL One Frankfurt e trás pra você, um resumo de cada partida. Confira:

Game 1

Bans

OG: Io, Beastmaster, Vengeful Spirit, Ancient Apparition, Magnus.
Na’Vi: Phoenix, Faceless Void, Sven, Alchemist, Naga Siren.

Picks

OG: Earth Spirit, Batrider, Dazzle, Templar Assassin, Lifestealer.
Na’Vi: Elder Titan, Juggernaut, Bane, Slardar, Invoker.

No primeiro jogo da grande final, a OG mostrou porque atualmente é o melhor time do mundo. Com Miracle- jogando com a sua famosa Templar Assassin, a OG sabia que garantir a laning phase no início de jogo seria fundamental para que seu principal jogador crescesse na partida.

E desde o início pudemos ver a movimentação dos suportes da OG, Cr1t- e Fly, auxiliando Miracle- na mid lane, dando vários counter ganks, resultando inclusive em abates para Miracle-. Com isso, a atual campeã do Major abriu grande vantagem no placar e comandou todas as ações do primeiro jogo, obrigado a Na’Vi a chamar o GG com 32:50 minutos de jogo, com um placar de 42-13. Destaque para Miracle- que terminou a partida 20 abates e apenas 2 mortes.

Game 2

Bans

Na’Vi: Faceless Void, Elder Titan, Riki, Juggernaut e Tidehunter.
OG: Io, Beastmaster, Terrorblade, Drow Ranger e Windranger.

Picks

Na’Vi: Earth Spirit, Batrider, Ancient Apparition, Slark e Templar Assassin.
OG: Phoenix, Lifestealer, Lion, Kunkka e Anti-Mage.

No segundo jogo da série, a Na’Vi mostrou mais resistência e chegou a incomodar a OG em alguns momentos da partida. Porém, com Miracle- dessa vez jogando como hard carrier, tendo em suas mãos um Anti-Mage, mostrou porque é considerado um dos melhores jogadores da atualidade.

Com um patrimônio duas vezes maior do que o herói com maior patrimônio da Na’Vi, Miracle- simplesmente carregou o seu time para a vitória, em 31:39 minutos de partida, com um placar que apontou 31 a 17 à favor da OG.

Game 3

Bans

Na’Vi: Lifestealer, Juggernaut, Alchemist, Sven e Anti-Mage.
OG: Io, Beastmaster, Enchantress, Death Prophet e Medusa.

Picks

Na’Vi: Faceless Void, Elder Titan, Skywrath Mage, Invoker e Lycan.
OG: Phoenix, Lion, Dark Seer, Dragon Knight e Riki.

No terceiro jogo, a OG resolveu brincar ao inverter as roles dos jogadores. Miracle- jogou de suporte com um Lion, enquanto Cr1t- foi de carrier comandando um Riki. E mesmo não tendo seus jogadores nas suas posições de ofício, a OG surpreendeu e apesar dos erros jogou de igual para igual com a Na’Vi.

E para quem achava que a brincadeira poderia custar caro para a OG, o jogo mostrou porque cada um dos jogadores da equipe está atravessando as melhores fases de suas carreiras. Mesmo com vários erros, Miracle- e companhia abusaram das teamfights e praticamente tudo que tentavam acabava dando certo.

Mesmo sendo a partida mais longa da série, o que pode se ver foi a competência da OG em um jogo em que pareciam estar se divertindo. E levando objetivo após objetivo, fez com que a Na’Vi pedisse o GG assim que levou mega creep, aos 46:54 minutos de partida, com um placar de 34 a 30 para a OG.