Após a derrota em duas finais consecutivas, as equipes da League of legends Pro League (LPL) decidiram no final de 2014 abrir os bolsos e trazer ao maior público nacional de League of Legends do planeta, os maiores jogadores.

       Mais do que apenas um reflexo da quantidade absurda de dinheiro envolvido no cenário competitivo chinês, esse investimento massivo demonstra a grande perspectiva chinesa de que eles não são só os melhores mecânicamente, mas também os melhores em todo o conjunto de fatores que garantem o sucesso de uma equipe.

Uma Necessidade

           A matriz civilizacional Chinesa e o grande explendor de sua cultura durante a China Imperial criou uma identidade muito ligada a um conceito de superioridade cultural, e assim como seus ancestrais dessa época os pro-players chineses buscam o reconhecimento  de melhores do mundo.

            A primeira grande oportunidade para provar sua superioridade internacional surgiu no campeonato mundial da season 2, mas a maior equipe da LPL  na competição,o lendário esquadrão da World Elite (WE), não conseguiu bater o Karthus de Froggen e acabou derrotado nas quartas de final.

            A segunda temporada acabou de uma maneira ainda mais trágica aos olhos dos chineses, apesar da gigantesca rivalidade asiática entre China-Japão-Coréia do Sul, essa rivalidade parece pouco quando comparada ao grande problema existente entre a República Popular da China e a terra natal da Taipei Assasins, Taiwan. Taiwan era parte da China até a Revolução Popular de 1949, momento em que os líderes do Partido Nacional (Kuomitang) que estava no poder na China buscaram refúgio no arquipélago, e até hoje não retomaram relações com a RPC.  Essa grande problemática política produziu efeitos até mesmo em jogadores da própria TPA, caso de Toyz, que sofria muita descriminação no país devido ao fato de que não nasceu em Taiwan. toyz

O Reinado Coreano

      Muito antes de Faker reinar supremo como o único deus de League of Legends a China produzia lendas, Misaya se eternizava como o maior Twisted Fate da história e Weixiao humilhava adversários na bot-lane, e foi justamente esse time que colocou a Região  no topo do cenário competitivo mundial ao vencer o IPL5, mas a glória do IPL5 não se compara com a do campeonato mundial e a derrota da equipe de estrelas chinesas no All-Star devolveu o trono a Coréia.

IPL5_Day_4_-_Team_WE_(4)

       Os dois mundiais seguintes marcaram o total domínio coreano sobre o cenário competitivo, com o maior jogador da história de League of Legends derrotando a chinesa SHRC na final em 2013 e a maior equipe de League of Legends da história derrotando a mesma  SHRC na final de 2014.

       A china impressionava pela sua capacidade de inventar novos picks, novas composições e principalmente pela capacidade mecânica de seus jogadores.O estilo característico da região, de uma agressividade absoluta, busca constante de lutas para criar outplays  e vencer jogos é extremamente belo, mas não foi o suficiente para trazer um título mundial para a China.

Nova-Line-Up-da-Samsung

O Ano Chinês

EDG1

  A chegada de 2015 viu a contratação dos 10 jogadores da Samung e mais uma série de jogadores de grande nome (Flame) ou grande talento (Beast,Ella) para o competitivo Chinês. Dentre os 10 jogadores da Samsung apenas um ficou completamente isolado de seus antigos parceiros de organização , e seria justamente esse que traria todos os olhares para a China.

   A IEM Katowice marcou a primeira vitória de algum time ocidental em torneios com participação de coreanos desde 2012, mas marcou também o renascimento da WE, com uma participação brilhante de Spirit, e a explosão do trono coreano quando a WE derrotou a favorita GE.Tigers.

   Agora todos os olhares se direcionam para a China, ela detem as atenções e os times considerados os melhores do mundo, e é dela que deve surgir o próximo campeão mundial de league of legends.