O CEO da Immortals Noah Whinston se pronunciou em um vídeo publicado pela Immortals sobre as polêmicas recentes em volta do time de CS:GO da organização.

A equipe anunciou nesta quarta-feira (20) a saída do brasileiro Vito “kNg” Giuseppe. Na quinta-feira(21), foi a vez dos irmãos gemos Lucas “Lucas1” Teles e Henrique “hen1” Teles pedirem para deixar a organização.

O pronunciamento do CEO começa falando sobre a sobre a derrota na final do Dream Hack onde a Immortals perdeu a primeira partida da Melhor de 3 por W.O. após se atrasarem para a o local do evento. Após o ocorrido, kNg se envolveu em algumas polêmicas e chegou a ameaçar publicamente Pujan “FNS” Mehta, jogador da CLG. De acordo com Noah, a Immortals aplicou uma multa de um mês de salário além da porcentagem dos jogadores referente à premiação do Dream Hack para hen1, Lucas1 e kNg. Todo o dinheiro será doado para uma instituição de caridade de Montreal, contou o CEO.

Whiston continua: “Após ver as declarações nas redes sociais eu queria tirar kNg imediatamente do time. Nosso treinador Zakk e os outros quatro jogadores me convenceram a dar outra change para kNg.” Ele explica que havia falado com Zakk que kNg não poderia jogar pois estava suspenso e que após perder o primeiro mapa contra a CLG utilizando Zakk no lugar de kNg, Lucas1 e hen1 se recusaram a continuar jogando sem kNg no time.

“Com kNg jogando, nós vencemos os próximos dois mapas e a série. Mas ele estar jogando foi uma violação direta da punição que foi comunicada à ele e aos jogadores,” ele explica. “Devido ao fato que kNg violou sua punição, cancelamos imediatamente o seu contrato. Ele não faz mais parte e nunca mais fará parte da Immortals.

“Sabendo da saída de kNg, hen1 e Lucas deixaram bem claro que sem kNg no time, eles não jogariam pela Immortals. Em vez de força-los a jogar contra sua vontade. Nós honramos a vontade deles e colocamos eles em uma suspensão de tempo indefinido”, explica o CEO. Logo depois ele deixa claro que hen1 e Lucas1 ficarão no ‘banco’ até algum time pagar a multa de seus contratos ou até eles mudarem de ideia e resolverem jogar pela Immortals.

Ele explica que as decisões foram tomadas para manter a filosofia da Immortals. “Para hen1, Lucas1 e kNg vencer é tudo. E tudo que for feito para vencer é justificável. Mas para a Immortals, vencer é apenas uma peça em um quebra-cabeça muito maior,” ele explica. “Jogadores com habilidades, boa comunicação, boas jogadas táticas são fantásticos. Mas ter isto não te torna um jogador profissional, apenas um jogador talentoso. Os dois membros restantes da IMT, Boltz e Steel são exemplos de jogadores profissionais. Dentro e fora do jogo, eles são tudo que nós queríamos para a organização. E estamos de olho na oportunidade de recriar o nosso time de CS:GO em volta destes dois jogadores.”

Para finalizar, Noah Whinston explica sobre a situação do Major. De acordo com as regras da Valve os 3 jogadores que estão fora da Immortals teriam controle da vaga. Para a Immortals, jogar um Major não é algo maior que a filosofia do time.