Conversamos com o treinador da Team One, Vinicius “Neki” Ghilardi, sobre a partida entre Team One e RED Canids na última semana pelo CBLoL.

A equipe de Neki perdeu novamente uma série e conta com apenas uma vitória nas quatro semanas da competição. Confira a entrevista:

Se inscreva no canal do Mais e-Sports e não perca os próximos vídeos:

Como foi a decisão de colocar o Steal no lugar do Lactea?

Neki: A entrada do Steal foi uma decisão da comissão técnica e do time em sinergia. Eu falo para todos isso. Temos dez jogadores e os dez estão aptos para jogar no CBLoL. Acabou essa parte de ter uma substituição ‘ah teve um problema, ah aconteceu isso’. Basicamente os jogadores que estão melhores, que estão tendo bons desempenhos irão entrar para jogar. O que a comissão técnica achar que é melhor vai ser feito.

Quais as principais diferenças entre o Lactea e o Steal?

N: O Lactea é muito bom em micro, então ele consegue fazer algumas plays, consegue ter uma consistência, uma agressividade quando nós estamos usando ele. Já o Steal, ele tem a parte que ajuda na comunicação, trabalho em equipe. Por todos estarem falando em português, é um trabalho de equipe melhor. Mas todos eles têm qualidades muito boas, assim como Marf e Brucer no mid, eu posso usar os dois em qualquer jogo, cada um pode entrar em um jogo também e o time vai saber como rodar de acordo.

Ficou satisfeito com a atuação do Steal?

N: Fiquei satisfeito com a atuação do time, na verdade. Nós perdemos muito em fundamentos sobre o básico do jogo. Tentamos resgatar isso essa semana, foi um trabalho bem duro. Todo mundo se esforçou, todos se sacrificaram para fazer uma boa partida hoje. Nós saímos daqui tristes pela derrota, mas com o sentimento de dever cumprido. A gente buscou, a gente se sacrificou, a gente tentou. Percebemos que ainda precisamos de muito tempo para evoluir e ter uma sinergia melhor.

Animado para jogar contra a KaBuM?

N: Eu particularmente quero muito enfrentá-los porque o Zantins, Titan e Riyev são muito meus amigos. Eu fui treinador deles na época que eu estava na KaBuM também. Eles estão em um momento brilhante e eu estou muito feliz por eles. Mas é como eu sempre falo, cada jogo é um jogo e estou doido para enfrentá-los, pois vontade de ganhar é o que não falta.

*Entrevista realizada em parceria com Evelyn Mackus, repórter do Mais E-Sports.