Conversamos com Carlos “Nappon” Rucker, um dos junglers da RED Canids Corinthians. A matilha perdeu pela primeira vez uma série no CBLoL para a KaBuM no último fim de semana.

Se inscreva no canal do Mais e-Sports e não perca os próximos vídeos:

A KaBuM já havia mostrado a sua força. Vocês esperavam esse 2-0?

“Na realidade a gente nunca espera. Mesmo com toda essa semana horrorosa de treinos que nós tivemos, não ganhamos quase nenhuma partida, foi bem ruim mesmo. Mesmo com isso acontecendo, não acreditamos na derrota em qualquer momento, tanto que o pessoal tava gritando, tava tentando ganhar o jogo mesmo quando eles estavam destruindo o nosso nexus na segunda partida.”

O que deu de errado nessa semana de treinos?

“É uma coisa muito estranha isso. Já falei algumas vezes sobre esse assunto porque já aconteceu muitas vezes comigo. Em todo time que eu jogo, não sei se a culpa sou eu, sempre acontece, já vi até acontecer em outros times também, mas em alguma determinada semana tudo se dessincroniza… Às vezes alguém perde a sinergia com o outro, uma decisão errada que leva a outra. Essa semana tudo deu errado para nós. Não conseguíamos jogar junto, não tinha uma sinergia boa e isso acabou chegando no CBLoL.”

O que vocês erraram? Draft? Execução?

“Na minha opinião no primeiro jogo o Draft dificultou um pouquinho. Mas dava para ter ganho, dava para ter resolvido os defeitos do Draft com algumas ações. Na segunda partida foi mesmo erros mecânicos. Erramos na hora de executar a coisa certa a se fazer. Eu queria roubar o vermelho e ele resetou, queria roubar as galinhas e elas resetaram também. Isso me deixou muito atrás e acabei morrendo depois para a Camille e criou uma bola de neve para eles.”

Você entrou no lugar do Winged no segundo jogo. Por que o Dioud não entrou também?

“É porque o principal ponto, na realidade, é que eu assisti o primeiro jogo e vi muito das estratégias que o Ranger estava utilizando. Como as wards que ele colocava, a rota que ele queria fazer. Tanto que o gank que ele fez de Camille era esperado mas demos um vacilo, isso mostra a falta de sinergia entre a gente.

Já para o suporte não é tão gritante isso de analisar o jogo anterior. Para o jungler é muito mais por conta de como a jungle funciona, todo aquele jogo mental. Então… não era necessário colocar o Dioud.”

Como foi seu confronto contra o Ranger?

“No passado eu e o Ranger tivemos algumas rivalidades. Da outra vez eu sai com a vitória mas aquilo ficou no passado. Tanto que hoje em dia a gente é tranquilo um com o outro… Não somos amigos mas somos tranquilos um com o outro. Acho que esse jogo de hoje teve um gostinho de vingança para ele.”

Como é jogar contra a Camille?

“A Camille é um campeão muito forte. Ela tem um kit muito bom para a jungle mas ela sofre para fazer os campos nos primeiros níveis. Então, a melhor opção para ela é fazer aquele gank no nível 2 ou 3 talvez e ele foi bem sucedido nisso, o que ajudou muito o jogo dele.”

Você vê o Ranger como um dos melhores junglers nesse split?

“Acho que todos os junglers do CBLoL estão mandando muito bem. Eu vejo poucos erros, talvez um ou outro. Mas como nos outros splits, estava acontecendo de ter um ou dois caçadores mandando muito bem, sabe? Estou vendo agora cinco ou seis.”

Por que o Azir ficou aberto nos dois jogos?

“A gente tinha um pick que é bom contra, o Ryze. É um match-up que depende da habilidade do jogador e confiávamos bastante no Sky. Treinamos bastante isso e sabíamos como ele joga. Apesar do Azir ser um campeão bem forte, preferimos não banir.”

Acompanhe a tabela, datas e horários dos jogos e tudo mais do CBLOL na Cobertura do Mais e-Sports.

*Entrevista realizada em parceria com Evelyn Mackus, repórter do Mais E-Sports.