Estreante no CBLOL 2017, a Remo Brave até agora conseguiu somar apenas um ponto na competição depois de quatro rodadas. A pontuação no entanto, não tem refletido as atuações da equipe até o momento, que conseguiu bater de frente com times como Red Canids, Keyd Stars e INTZ.

O Mais e-Sports conversou no último sábado (11) com o treinador da Remo Brave, Erick Cardoso, logo após a derrota para a Operation Kino. Durante a entrevista, o treinador afirmou que apesar de soar como clichê, o que falta para o seu time conseguir somar mais pontos no CBLOL é mais experiência.

“Apesar das derrotas, no aspecto psicológico nós estamos bem, mas falta um pouco mais de experiência, falta calma na hora de fechar o jogo. Estamos cometendo erros bobos que a gente não comete em treinos, então é difícil trabalhar um erro que não se comete em treino, mas se comete em jogo. A comissão técnica fica um pouco engessada porque conserta durante a semana e chega no dia do jogo e comete o erro de novo”, conta Erick.

Ainda de acordo com o treinador, a luta da Remo Brave agora é para conseguir permanecer na elite do League of Legends brasileiro. Para isso, Erick afirma que a equipe vai sim se preparar para o confronto direto contra a KaBuM, mas não vai deixar de pensar no CNB eSports Club e também na paiN Gaming, os outros dois adversários da equipe nesta reta final do split.

“Vamos lutar para ganhar da KaBuM e sair do último lugar, acho que certamente este será o confronto que definirá a 7ª/8ª colocação. Depois do confronto contra a CNB, iremos sim nos preparar para o jogo decisivo contra a KaBuM, mas pelas atuações que tivemos até aqui, dá pra ver que a gente bate de frente com todo mundo, então dá pra ganhar qualquer jogo. A derrota para a OPK foi bem atípica, porque nós jogamos muito mais do que isso”, revela o treinador.

Já quando questionado sobre o alto nível do Circuito Desafiante, que neste momento conta com INTZ Genesis e ProGaming e-Sports nas duas primeiras posições, o coach foi categórico. “Se a gente tiver que ter medo do Desafiante, a gente vai embora do CBLOL. Nós vamos impor nosso jogo e vamos ficar, não temos que ter medo de ninguém não”.