Tudo estava indo bem para Cho “Mata” Se-hyeong no Mundial de 2018. Ele estava jogando em casa, numa das grandes favoritas para levar a taça e a narrativa conspirava a favor dele. Ele havia ganhado quatro anos antes, afinal, sendo coroado MVP ao mesmo tempo. Com as performances exibidas até então contra Team Liquid, EDward Gaming e MAD Team, o suporte estava caminhando para repetir o feito.

Até mesmo no início da série contra a Invictus Gaming, quando manejava um Shen que tornou-se marca registrada ao longo do ano, dava para notar o brilhantismo dele. Antes de o primeiro jogo entrar num efeito bola de neve contra a kt Rolster, ele fazia jogadas de raciocínio rápido utilizando Corrida das Sombras e Flash para mitigar o estrago nas lutas.

Mas tudo desmoronou muito rápido. Kang “TheShy” Seung-lok e Song “Rookie” Eui-jin se provaram fortes demais e os dois primeiro sets terminaram em destruição. A escalação sul-coreana foi capaz ainda de levar para um mapa decisivo, mas em vão. E assim Mata estava eliminado, incapaz de cumprir a profecia do MVP duplo. A IG prosseguiu para ser a primeira organização chinesa a conquistar o Summoner’s Cup.

Mata cabisbaixo durante as quartas de final contra a Invictus Gaming (LoLesports)

Depois do fracasso do ano passado, era difícil acreditar que veríamos esse grupo da kt novamente. Mas eles se mantiveram e  —  apesar do sucesso na LCK Summer 2018  — , no fim falharam em capturar o objetivo maior que era o Mundial. Com a chegada da offseason, então, era inevitável questionar se continuariam juntos.

Em notícia que surpreendeu a comunidade internacional, foi revelado que Mata não seguiria junto da gigante da telecomunicação. De acordo com rumores, a kt optou por construir um roster em volta de Song “Smeb” Kyung-ho, que supostamente bateu cabeça com o suporte durante os dois anos em que jogaram juntos.

Isso levanta a questão de qual será a nova casa de Mata. É óbvio que qualquer franquia se beneficiaria de um veterano habilidoso, famoso pela liderança e com uma legião de fãs. Mas existe um time em especial que declaradamente precisa de alguém com as características do suporte  —  embora não necessariamente esteja ativamente à procura. Esse time é a Griffin.

Os estreantes rubro-negros irromperam no cenário coreano com uma sequência de seis vitórias, incluindo contra equipes de nome como KZ e SKT. Essa marca foi quebrada pela kt de Mata, coincidentemente, mas a capacidade de encontrar lutas do nada e fechar partidas com rapidez impressionou. Especialmente sabendo que eram cinco garotos com essencialmente zero experiência competitiva.

Em entrevista para o Inven, o treinador Kim “cvMax” Dae-ho declarou que esse de fato era o objetivo: “O que nosso time está planejando é ter um grande cérebro que tem a capacidade de cinco cérebros controlando todos os cinco campeões. É como uma pessoa jogando um jogo de RTS, controlando os cinco campeões. Dessa forma, nenhuma chamada é necessária e não há razão para debates. Nosso objetivo máximo é fazer jogadas sem nenhuma chamada”.

Esse é historicamente o arroz com feijão de Mata. Até hoje falam de como ele controlava os teleportes de Jang “Looper” Hyeong-seok na época da Samsung White e, posteriormente, na Royal Never Give Up. Além disso, quando jogou com Gu “imp” Seung-bin, diziam que ele instruía o atirador a dar passos para frente ou para trás de modo a garantir abates ou evitar ganks. Por último, há o rumor de que jogava com o mouse próximo aos números do teclado para conseguir anotar o timing de feitiços e sentinelas e também o pathing do caçador adversário.

Na Griffin, Mata seria o jogador mais velho por uma grande margem. Isso significa que ele seria o hyung, a voz da experiência que, por causa da cultura, todos tendem a respeitar e seguir. Ao contrário do que tinha na kt  —  onde Smeb e Go “Score” Dong-bin também comandavam  — , ele poderia ser a principal pessoa no que se refere a comunicação.

Mata e Xiaohu saindo de vitória no MSI de 2016 (LoLesports)

Quando se trata de jogar com novatos, Mata já teve essa experiência quando representou a RNG em 2016. Ele tinha nas mãos Liu “Mlxg” Shi-Yu, Li “Xiaohu” Yuan-Hao e Wang “wuxx” Cheng, que na época tinham apenas um ano de profissional por alguns dos piores esquadrões da LPL. Desenvolveu a movimentação de wards e macro. O meio chinês até expôs em entrevista que “após Mata se juntar ao time, ele foi realmente capaz de me ensinar a pensar no motivo de fazer as coisas e tomar decisões mais claras”. Sendo assim, talentos como os de Lee “Tarzan” Seung-yong e Park “Viper” Do-hyeon poderiam se expandir ainda mais.

Por falar no atirador, à essa altura já é senso comum que o emparelhamento de Mata com o companheiro de bot lane leva a uma fase de rotas extraordinária. Foi assim com imp, Jian “Uzi” Zi-Hao e mais recentemente Kim “Deft” Hyuk-kyu. Viper, quando dado match-ups favoráveis como Caitlyn e Morgana, é capaz de dominar a lane. Quando recebe campeões neutros, porém, tende a jogar de forma passiva. Isso não existe com o MVP do Worlds 2014, que pode elevar ainda mais o nível do novato.

Uma união ainda beneficiaria as duas partes no que concerne o aspecto estratégico. Durante a segunda etapa, a Griffin teve dificuldades principalmente no Early Game. Eles eram muito passivos em busca do erro inimigo, similar ao estilo da Afreeca Freecs. É por isso que a kt conseguiu constantemente sair vitoriosa no confronto direto.

Mata, por ser um suporte que gosta de dar roaming e trabalhar junto com o caçador, seria uma grata adição para melhorar esse quesito. Especialmente considerando que Son “Lehends” Si-woo pouco ajudou com sentinelas no último split. Ele deixou uma média de 1,37 wards por minuto, enquanto o campeão mundial posicionou 1,78. Tarzan, em entrevista, até se surpreendeu ao saber que eram os segundo piores nessa área e disse que “iniciam lutas após coletar dados através de visão”.

Lehends teve as piores estatísticas de wards nos playoffs da LCK (Fomos)

Pode-se haver o argumento de que Lehends é bom e substituí-lo seria injusto. Enquanto ele realmente se mostrou um suporte de alto nível, o fato ter priorizado Shen e Morgana indica um problema de champion pool. Por que ele não trouxe picks valorizados como Tahm Kench e Rakan com mais frequência, por exemplo? Além do quê, colocá-lo na reserva daria a oportunidade de aprender com o melhor suporte da história.

Outro argumento é que, por mais que Mata pudesse auxiliar no Early Game, ele poderia ser prejudicial para o Mid/Late. Isso se deve ao fato de, tradicionalmente, os times dele se perderem nessa fase do jogo. Seja dando overextend quando precisam resetar ou não tendo paciência para chegar nos picos de poder. Mas esse é justamente o ponto forte de Choi “Sword” Sung-won e companhia. Eles tiveram uma Taxa de Mid/Late de 18,7 na fase regular, oito a mais que a segunda colocada kt. Se essa disciplina foi imposta pelo técnico ou se é natural da line-up, é impossível saber. Mas é algo que Mata poderia incorporar ao próprio shotcalling.

Embora a ideia de ver Mata ao lado de Lee “Faker” Sang-hyeok, Park “Ruler” Jae-hyuk, Gwak “Bdd” Bo-seong ou Lee “Spirit” Da-yoon seja empolgante, nada combina mais do que uma junção com a Griffin. Faltou pouco para o plantel ser campeão em 2018 e talvez esta seja a última peça do quebra-cabeça. Basta torcer para que a organização tenha dinheiro suficiente para bancar a transferência.