A paiN Gaming se reforçou para o seu retorno ao CBLoL. Na lineup, o reforço foi de peso: Felipe “Yang” Zhao. Já na comissão técnica, a organização deu boas-vindas ao analista João Pedro “Dionrray” Barbosa, quem ajudará o head coach Thiago “Djoko” Maia.

Nesta terça-feira (28), o Mais Esports conversou com Dionrray, que falou sobre o contato com a torcida da paiN, cobranças, pressão e no que as campanhas passadas podem lhe ajudar na nova equipe.

Essa é a primeira vez que você representa uma torcida tão grande, pode-se dizer que a torcida da paiN é uma das maiores, se não a maior, do Brasil. Como está sendo isso para você?

É algo bem novo, como você disse, é a primeira vez que eu estou com uma torcida atrás de mim. No dia que eu fui anunciado já senti que era algo bem diferente, vi muitas pessoas mandando mensagens me parabenizando, outros já me cobrando, dizendo que na paiN a história era outra, enfim, é algo bem novo para mim.

Apesar disso, eu sempre costumo levar isso da melhor forma possível então acho que só tende a me ajudar, essa situação.

Dá para dizer, então, que a pressão aumentou?

Sem dúvida nenhuma, mas é algo que eu já esperava e acho que é normal.

Como está sendo trabalhar com o Djoko e com o Minerva de novo? Vocês estiveram junto na PRG, e como está sendo esse reencontro? Principalmente com o Djoko, com quem você divide a comissão técnica.

É algo bem fácil, bem natural. Já conheço o Djoko há muito tempo, a gente sempre lidou muito bem um com o outro, então, é tudo bem natural, tudo funciona de uma forma bem fácil.

A mesma coisa com o Minerva, a diferença agora é que nós estamos um pouco diferentes. Eu vejo que amadureci bastante, ele pessoalmente mudou bastante também. Então é bem legal ver uma versão melhorada do Minerva.

Não tem como não falar dos resultados negativos que você teve no passado recente, principalmente o rebaixamento com a ProGaming. Que lições você tira disso, dessas campanhas negativas, que podem te ajudar na paiN?

Eu sou um cara muito positivo, então tudo que eu faço eu tento tirar algo de bom. Sem dúvida nenhuma, todas essas campanhas negativas, principalmente a última, me fizeram crescer muito como pessoa e como profissional.

Por mais que o resultado tenha sido horrível, eu sei que consegui evoluir bastante, e isso não vem só de uma reflexão minha, mas também de todos a minha volta reconhecerem isso. Acaba que a paiN me dando essa oportunidade agora, eu vejo que, apesar de tudo, eles viram algo em mim. Só cabe a mim mostrar meu real potencial na paiN.

Do ponto de vista da comissão técnica, como é enfrentar o Flamengo logo na primeira partida do CBLoL?

Se preparar para o primeiro jogo do campeonato é sempre muito difícil. As informações que temos do Flamengo são do CBLoL passado, então não sabemos como eles estão lendo o meta atualmente, o que eles querem preparar… Ainda mais sendo um jogo só, fica bem difícil, principalmente pelo adversário. Ao mesmo tempo é legal já chegar enfrentado um adversário forte, já tem todo o hype de torcida, só faz ficarmos mais ansiosos para estrear no cBLoL e trabalhar mais duro para essa estreia.

paiN e Flamengo abrem o 2º Split do CBLoL neste sábado (1), a partir das 13h.

Leia também: Yang: “Se a gente não trollar ou falhar em alguma coisa, esse time tem tudo para ser campeão.”