- Publicidade -

Murilo “Takeshi” Alves está oficialmente aposentado e o motivo para tal decisão foi a saturação com a rotina de treinamento do LoL. Ainda assim, ele afirma que continua continuará no cenário, e refletiu sobre os jovens talentos que vêm aparecendo.

Takeshi que está há 8 anos jogando competitivamente, admite que esses novos nomes que estão aparecendo chegam com “mais fome”, enquanto ele, Leko, e outros jogadores estão cansados e não sentem o mesmo prazer de jogar.

“Acho que não só no LoL, mas também no CS, no Fortnite – o menino que ganhou agora com 16 anos. A ‘mulecada’ tá vindo com tudo. Eu sou super defensor dos veteranos, acho que quando apertar, será neles que o pessoal vai, para saber o que tá acontecendo. Mas, no LoL em si, acho que chegamos, meio que montamos um cenário, formamos nossa história, e o pessoal foi desgastando. Não consigo mais, não dá mais para jogar”.

Takeshi afirma que cada vez mais “meninos que ninguém conhecia” estão crescendo dentro do Esports, com um ímpeto imenso de jogar.

“Essa galera nova, quando eles tinham 10-13 anos, vinham: ‘Caramba, aquele cara tá ganhando a vida jogando, daqui a pouco termino meu ensino médio e vou querer isso também’. E eles já chegam em um cenário que está construído”.

Com “mais propriedade para falar sobre o LoL”, Takeshi fala sobre as performances dos jogadores mais novos, que vêm fazendo bons, como “Hauz, N0sferus, Blacky e Grevthar”.

“São moleques de 19, 20 anos, no máximo, que estão jogando muito bem e eles pegam qualquer campeão e executam quase perfeitamente. Eu não diria com perfeição porque eu acho que nunca você pode dizer que consegue jogar perfeitamente com um boneco”.