- Publicidade -

A Riot Games explicou, por meio de uma postagem em seu blog oficial, que está trabalhando em novos sistemas anti-cheat para LoL e seus outros games futuros, como o Project A. A própria publicação discute muito o conceito de “camadas de acesso” que um usuário usa durante uma partida de League of Legends e como as principais trapaças vão além do que o jogador é acostumado a acessar.

A grande mudança é que o LoL, assim como os próximos games da Riot, utilizarão um driver kernel no futuro, que acessa os níveis mais profundos de acesso do seu computador. “Historicamente, seu time anti-fraude favorito foi forçado a jogar este jogo no nível do usuário, efetivamente dando aos trapaceiros uma desvantagem necessária de doze tempos”, explicou a equipe a Riot Games.

LoL League of Legends Kernel

“Mas, por mais que gostemos da ideia de uma guerra de aplicativos em constante escalão com adolescentes, agora estamos entrando em um universo de vários jogos em que déficits lineares de tempo e sono tornarão essa estratégia insustentável”, brincou a publicação.

“Isso nem é novidade. Vários sistemas anti-fraude de terceiros – como EasyAntiCheat, Battleye e Xigncode3 – já estão utilizando um driver de kernel para proteger seus jogos AAA favoritos”, completa a Riot Games.

E quando isso chegará no LoL?

A empresa não deu uma expectativa de quando começará a aplicar essas mudanças em LoL. Como ela já trabalha nesse sistema para os seus games futuros, é possível que ele leve alguns anos até estrear definitivamente no jogo.

Não é só a Riot Games que está aumentando os esforços contra cheaters. Em 2019, a Ubisoft processou em mais de US$ 100 mil o criador de uma trapaça em Rainbow Six: Siege.