- Publicidade -
Foto: Riot Games

Eu normalmente evito escrever qualquer coisa relacionada ao CBLOL, muito por não acreditar que sei o bastante ou por certamente existir pessoas bem mais qualificadas para tocar no assunto, porém recentemente, depois de assistir um vídeo do Ranger sobre lane assignment uma dúvida surgiu na minha cabeça: Como o público mais casual enxerga a diferença de nível entre nossa liga e as principais do mundo?  

Com essa pergunta em mente acabei fazendo um tweet perguntando quais são as principais diferenças que meus seguidores sentiam quando assistiam um jogo do CBLOL comparado a um da LCK/LEC/LPL e as respostas foram das mais variadas possíveis.  

“Sinto que os jogadores do CBLOL erram muitos skillshots comparado aos jogadores da LPL” 

“Acho que enquanto os times do CBLOL se planejam pensando um minuto na frente, os da LEC/LPL/LCK planejam quatro minutos ou mais” 

“Não acho que os times de CBLOL sabem muito bem como executar suas próprias composições” 

“Parece que os times do CBLOL sempre estão meio perdidos no que querem fazer, principalmente quando tem uma vantagem, por isso rola tantas viradas e jogos longos”  

Essas foram algumas das respostas e olhando para elas, que claramente são um pouco vazias, justamente por esse público não ter um conhecimento técnico tão aprofundado, cheguei à conclusão que, são em algum grau, todas verdades e que ter telespectadores casuais percebendo elas, mesmo que vagamente ou sob a influência do que algum caster ou influenciador, dizem bastante sobre o atual estado e nível do nosso cenário.  

Pegando a LPL e LEC, as duas melhores regiões do mundo hoje de acordo com os recentes resultados, é comum ver torcedores e especialistas dizendo que X ou Y possuem o melhor jogo, mas que no final é impossível saber com toda certeza qual é melhor, pelo menos até as equipes dessas regiões se enfrentarem. Isso acontece por justamente o nível ser bem parecido, as equipes dessas ligas com toda certeza conhecem conceitos básicos de jogo, seja ele como fazer o lane assignment corretamente por exemplo, coisa que times do CBLOL parecem não entender muito bem de acordo com o Ranger no vídeo que citei mais cedo.  

Eu já perdi a conta de quantas vezes um matchup que era para ser ganho por um campeão acaba sendo ganho por outro, mesmo sem a interferência de ninguém na rota em questão ou então caçadores invadindo a selva inimiga sem a pressão necessária daquele lado do mapa. Não estou dizendo que isso não acontece nas melhores regiões do mundo, acontece também o problema é a quantidade de vezes que isso ocorre e com quais times isso acontece. É uma grande piada quando um dos melhores times da nossa liga acaba perdendo uma partida por simplesmente não conseguir controlar a visão direito em um objetivo ou pior NÃO perder a partida porque nenhum outro time conseguiu punir esse erro. Quando nossos campeões são campeões mesmo errando coisas básicas de jogo, péssimos resultados internacionais é o mínimo que pode acontecer. 

Quando existe uma diferença tão grande e fundamental de nível como essa, é difícil sequer imaginar um cenário onde times brasileiros tenham alguma chance contra as principais regiões do mundo. Na minha concepção já se passou tempo demais para temos alguns desses conceitos como entendimento básico de todos jogadores profissionais e até de telespectadores que acompanham o campeonato regularmente. Enquanto essa diferença gritante existir é tolo acreditar que o problema do CBLOL seja apenas X, Y ou a falta de um estilo próprio de jogo como alguns também me responderam no tweet.  

Apesar de não nutrir mais esperanças de grandes resultados internacionais desde 2016, continuo acompanhando fielmente toda semana as partidas do CBLOL e apesar da falta de qualidade técnica da maioria das equipes, ainda é um entretenimento de altíssimo nível e que quando encarado desse jeito se transforma em um campeonato incrível. 

Para não terminar o texto nesse tom meio melancólico, gosto de acreditar que a chegada dessa quantidade enorme de jogadores estrangeiros aumente o nível e o conhecimento básico de nossos jogadores e times, que a informação que anda em falta se espalhe através deles e que nossa liga possa novamente ser pelo menos o melhor entre as piores.