O Flamengo venceu a KaBuM no último domingo e recuperou a liderança do segundo split do CBLoL 2019. Mesmo não estando tão dominante como no primeiro split, a equipe está mostrando evolução e ainda é uma das principais candidatas ao título do torneio. Após a vitória, o atirador Felipe “brTT” Gonçalves e seu suporte Han “Luci” Chang-hoon participaram da coletiva de imprensa. Confira:

brTT, por que você acha que o jogo durou tanto e acabou tendo um alto placar de abates? 

brTT: Nós estávamos com uma composição bem agressiva, e o fator de eles não estarem entregando os objetivos, entregando essa pressão fez com que tivesse muitas lutas. Nós poderíamos ter punido esse fator muito mais, mas cometemos muitos erros e acabou que o jogo foi se estendendo muito. Se eles tivessem jogado certo o jogo não teria sido muito caótico porque tínhamos muita pressão.

Robo já comentou em coletiva que o Flamengo é um time mais versátil esse split. Apesar de não estar no topo com tanta vantagem, o time está melhor que na primeira etapa? 

brTT: Com certeza! O nosso time está se tornando mais completo que no split passado. Todos sabem que nós tínhamos apenas uma maneira de ganhar a partida e era muito mais fácil de ler isso, como a INTZ fez, se preparou muito bem para a final. Neste split estamos diferentes, já jogamos para o top e ontem pegamos uma prioridade a mais para o bot. As coisas estão dando certo, estamos evoluindo bastante nos treinos. Nosso time tem tudo para se tornar um time muito mais completo e preparado para uma melhor de cinco que é o que mais importa.

Luci: Eu também penso da mesma forma que o brTT. No primeiro split nós treinávamos e jogávamos apenas para o bot, mas agora estamos jogando para o top e também pegando o foco em mid-jungle. Estamos evoluindo e florescendo neste aspecto.

Vocês poderiam comentar sobre o retorno do Luci e como essa volta afetou o desempenho do time nas últimas rodadas? 

Luci: Com a minha volta acredito que consegui ajudar a recuperar a união do time, acredito que esse foi o principal fator que melhorou com a minha volta. Enquanto eu estiver nesta posição aqui no Flamengo eu vou cuidar para que continuamos no primeiro lugar.

brTT: Já falei muitas vezes que o Luci só soma para o time, o diferencial dele é a questão de shotcaller. Ele da muitas calls durante o jogo, é muito proativo criando jogadas e quando ele estava fora era muito difícil isto acontecer, nós assistíamos muito o jogo rodar, quando ele está no jogo nós somos um time mais agressivos criamos mais jogadas.

Atualmente os times brasileiros têm mostrado uma preferência para composições de late-game. Porque você acha que isso acontece? 

brTT: A maioria dos times brasileiros não conseguem punir muito isso, eles não têm jogos agressivos e quando tentam partir para esses jogos agressivos, composições de early game, chega nos 20 ou 25 minutos não conseguem finalizar o jogo e acabam perdendo o jogo. Por isso a maioria agora vai começar partir para esse jogo mais seguro, começa farmar garante objetivo e entrega um ou dois dragons, quando chega nos 30 ou 35 minutos luta e ganha o jogo. Por falta de confiança no jogo de early game, de criação, é um estilo de jogo muito mais difícil de se executar, então partem para o seguro para tentar chegar nos playoffs.

Tockers comentou que o Brasil está se prejudicando por jogar com composições de late game porque times de outras regiões sabem abusar disso. Você concorda com ele?

brTT: Eu concordo em partes sim. Todos sabem que se tentarmos uma composição que só escala lá fora os times vão saber jogar contra, vão saber controlar a partida, criar jogadas e conseguir uma bola de neve em cima disso, coisa que sabemos que a maioria dos times no Brasil não conseguem fazer. Se nos prendermos só nessa de escalar, jogar para o late game, não vamos ir bem lá fora.

Kami comentou que sua volta não é questão de “se vai acontecer” e sim “quando vai acontecer”. Você acredita que os jogadores que se aposentaram fazem falta no cenário?

brTT: Todos os jogadores que já tiveram alguma experiência internacional, jogaram um Mundial ou algo do tipo fazem sim falta no cenário, pelo que ele representa como jogador e pessoa para o cenário e também pela questão da experiência que soma bastante.

O próximo jogo do Flamengo será contra a Uppercut no dia 13 de julho. Você pode conferir a cobertura completa do segundo split do CBLoL 2019 aqui no Mais Esports.