A paiN Gaming encarou sua quarta derrota consecutiva no CBLoL neste sábado (29), ao perder para a CNB. Após a partida, o Mais Esports conversou com o técnico Thiago “Djoko” Maia sobre a má fase da equipe.

A paiN encarou sua quarta derrota seguida no CBLoL. O quanto você está preocupado com essa sequencia e até na forma que a paiN vem jogando as últimas partidas?

Com certeza, derrotas seguidas… Aliás, qualquer derrota é muito preocupante, especialmente quando o problema e os erros são bem parecidos ou na mesma área. Eu acho que a semana de treinos foi muito positiva, conseguimos identificar os erros, aplicar bastante nas scrims, mas por uma razão ou outra, não conseguimos transpor isso no stage.

Eu já vi isso acontecer em outras equipes, coisas bem parecidas, e otimistamente falando, acredito que seja uma questão de tempo, são alguns acertos que temos que fazer na própria equipe, então eu fico, óbvio, muito preocupado pela derrota, mas ao mesmo tempo, eu sei que são erros nossos, coisas que nós podemos resolver e mostrar um desempenho melhor para virar esse jogo.

O quão bom pode ser a entrada de um jogador novo na equipe, no caso o Yang já que as outras partidas vocês têm jogado com o Ayel. O quanto que a entrada do Yang, um jogador que a equipe não está tão acostumada, pode ser benéfica para a equipe?

Eu vejo que o ponto positivo de qualquer jogador entrar numa equipe que vem cometendo os mesmos erros, é que ele pode ter uma função tática dentro do jogo. Então, sim, o Yang tem esse valor e pode entrar em qualquer momento. No entanto, eu vejo que o erro, necessariamente, não é do Ayel ou próximo dele, então, mesmo que eu colocasse o Yang, é algo que, mesmo se a gente fizesse direito em time com o Ayel, o resultado mudaria.

Eu concordo que um jogador novo traz ares novos e uma dinâmica diferente para a equipe, mas ao mesmo tempo, eu vejo que o problema é muito mais coletivo, do jogo em time, do que necessariamente uma peça mudando, resolvesse. É como as peças se encaixam, algo que já tivemos antes com o Ayel, que por várias razões, não está acontecendo no palco

O que você pode dizer sobre o pick de Akali, pro Tin, já que o campeão tomou muitos nerfs nos patches passados. Por que essa escolha?

A Akali é um pick flexível, então ela é muito forte para o lado vermelho. Ela consegue ir tanto no Top quanto no Mid, e naquele draft, ela servia como peça flexível para o Ayel e para o Tin. No final das contas, o Ayel escolheu algo muito bom contra o GP do Duclou, que era o Yorick. Ele deveria amassar na lane, ter muita pressão lá, até seria uma condição de vitória como já fizemos antes, e isso deixou o Tin numa matchup complicada, mas ainda jogável.

Grande parte do Tin não ter conseguido atuar com a Akali, apesar dos nerfs, foi exatamente porque não conseguimos usar nem ele, e nem o Ayel, nas sides. Não conseguimos rodar o jogo, não conseguimos liberar a Akali que, apesar dos nerfs, nas mãos de um jogador habilidoso, faz um estrago muito grande.

Com essas quatro derrotas, o quão importante é o jogo de amanhã, contra a Uppercut? Ainda mais considerando que ambos estão com a mesma pontuação?

Nesse campeonato, todo jogo é importante, especialmente no segundo turno e no terceiro. O jogo de amanhã (domingo, 30) é chave para a tabela, mas, sinceramente, independente de quem fosse amanhã, é um jogo importante para nossa equipe, para mostrar que a nossa semana treinos, o que aprendemos, não foi em vão. Mostrar o que a gente tem, mostrar que conseguimos aplicar isso no palco.

Mudando de assunto, no próximo patch 9.13 teremos o lançamento da Qyiana. Muitas pessoas ainda não sabem para onde ela vai ou o que ela vai fazer. Na sua visão de treinador, onde você vê a nova campeã entrando no jogo?

Eu cheguei a ver a Qyiana no PBE no Top, Mid, Jungle e até AD Carry com a Yuumi, só não vi Suporte, e as que fazem sentido são no Meio, no Topo com matchups muito específicas, e na Jungle. Em prioridade, diria Mid, Jungle e Top. A grande questão da campeã é que ela é extremamente móvel, tem um dano muito bom no começo e no meio do jogo, se assemelha um pouco ao Zed, mas mais móvel e útil com controle de grupo.

Ser um campeão assassino AD, melee, com controle de grupo, é algo que pra mim é uma “carta de amor” ao competitivo. Os jogadores vão adorar jogar com ela e vai ser tipo uma nova Akali, sendo pick prioritário, flex, com facilidade para jogar matchups mais fáceis, e tendo problemas com matchups mais difíceis. 

Estou bem esperançoso, e tomara que ela vá para a Jungle, assim posso jogar com ela.

No domingo (30), a paiN retorna ao palco para enfrentar a Uppercut, equipe com mesma pontuação. O jogo é importante para ambas as equipes, que buscam se recuperar no CBLoL. A partida será às 14h.