A paiN Gaming venceu suas duas partidas da Semana 8 e entrou para a zona de classificação aos playoffs.

Na coletiva após a vitória contra o Flamengo, no sábado (20) o coach Thiago “Djoko” Maia e o Top Laner Felipe “Yang” Zhao comentaram sobre o rendimento da paiN no CBLoL, além da comparação entre o desempenho da equipe em treinos e a atuação no palco.

É esperado que os times mostrem sua melhor forma no 3º turno do CBLoL. Vocês acreditam que a paiN está na sua melhor fase?

Yang: Com certeza. Por estarmos no 3º turno estamos bem mais confiante, claro, ainda temos muitos erros, como por exemplo: Pegamos um baron e podíamos ter fechado o jogo e aberto muita vantagem e acabamos trollando muito, então cometemos muitos erros ainda, mas em questão de confiança, estamos muito mais confiantes para contestar plays, fazer plays. Digamos que, apesar dos erros de macro, como time estamos mais confiantes.

Djoko: Complementando, concordo 100%. A confiança e o trabalho em equipe subiram nesse jogo. Tivemos vários momentos de boa comunicação, momentos onde, apesar de ocorrer uma play ruim, nós não nos abalamos e continuamos no game. No ponto de vista de macro e de jogo em geral, estamos devendo muito ainda. Nosso melhor momento ainda está mais a frente.

Djoko, você acredita que o Tin já está aproveitando bem o pick da Qiyana? Você acha que o Flamengo peca em se preparar para picks inusitados?

Djoko: Sobre a primeira pergunta, eu diria que o Tin é bom com a campeã, mas se ele tira 60% do champion é muito, competitivamente falando. É um champ novo que está há pouco tempo disponível, é bom ele já estar tendo essa coragem de jogar com ela competitivamente, pegamos o pick bem cedo e isso mostra a confiança dele na escolha. Mas ele é um jogador muito habilidoso, ele tem um teto de habilidade altíssimo para outros campeões e para este. Acho que daqui duas ou três semanas ele vai estar muito melhor de Qiyana, mas ele já está tirando bastante.

Sobre o Flamengo, acredito que este Flamengo que jogou contra nós, é mais parecido com o Flamengo do 1º Split, eles têm um estilo mais voltado a mid/jungle/bot, com o Robo givando, com Tanque, e acho que o problema não é se preparar ou não para pick, eles são muito confiantes no jogo deles. Por exemplo, o Yang poderia ter pegado o que ele quisesse, eles deram blind pick no Ornn, e não que isso é ruim, é bom para o top laner adversário, mas mostra que o Flamengo é confiante no estilo deles e sabe onde vai abrir mão. Eles são bem conscientes no que fazem. Então não vejo como algo negativo, vejo que muito do jogo do Fla está atrelado à vantagem no começo do jogo. Se eles têm vantagem, o jogo roda melhor, e não necessariamente picks estranhos, em vista que o Fla não foi surpreendido por nada.

Apesar de ter conquistado boas vitórias nos 1º e 2º turnos, a paiN mostrou ter dificuldades em fechar jogos. Como que toda a equipe se prepara para lidar com esse tipo de problema?

Djoko: Eu vejo que, depois do final do 2º turno, na verdade na metade dele, nós já tínhamos consciência desse problema, de não conseguir fechar o game. Antes era mais cedo, tínhamos problema no mid-game, mas depois passou para o late-game, mas o maior mérito é dos jogadores, eles conseguiram se unir e se tornar um time mais consistente, eles conversam melhor, fazem as coisas melhor, sabem reconhecer os erros, estão mais unidos, mas é um trabalho da comissão, eu e Dionrray, principalmente pelo psicólogo, o Dado também ajuda bastante, então tem muita gente para assegurar que eles sejam uma equipe, mas com certeza o ponto a se destacar é a união deles. Estão fazendo as coisas melhor e juntos.

Isso faz com que, mesmo quando aquela vantagem parece escapar, aquela confiança em si e um no outro, prevalece.

Matsukaze vibra com vitória da paiN sobre o Flamengo Foto: Riot Games

Vários outros times já falaram em coletivas que a paiN joga muito melhor durante os treinos. O jeito que vocês jogaram hoje é essa paiN dos treinos?

Yang: Acredito que no early-game fomos a paiN dos treinos sim, mas depois que rolou o erro do Baron, acredito que no mid-game ou no late-game é o nosso problema. Nos treinos conseguimos fechar o jogo muito rápido, não sei porque, mas chega no stage e temos um pane que não conseguimos aplicar o que fazemos no treino, então diria que estamos evoluindo nessa parte, mas ainda não somos a paiN dos treinos 100%, diria que uns 60%.

Djoko: Eu diria 10%. O early-game foi show, tirando isso, ta nos 10%. Enfim, não podemos entrar em detalhe sobre treino, mas o que podemos falar é que sim, a equipe tem um desempenho bem diferente nos treinamentos, é o que estamos estudando atentamente, todos os ângulos possíveis para saber o porquê, mas méritos do Flamengo também. Eles são uma equipe que, durante os dois splits que jogaram do CBLoL, é muito difícil eles givarem uma partida. Pode ver, deve ter uns 7 ou 8 jogos em dois campeonatos, que eles têm uma desvantagem de mais de três mil, que eles seguram, lutam aos 40 minutos e ganham o jogo. Eles são um time muito consciente, e pelo fato da T1 estar de pé nesse jogo, eles conseguiram segurar. Então também vejo o mérito deles de não conseguirmos fechar o jogo. Mas sim, estamos muito distantes dos treinos.

Recentemente, o histórico da paiN tem mostrado que o time começa fraco no campeonato e mostra uma crescente na reta final. Por que isso acontece?

Djoko: Se essa pergunta me fosse feita no Circuito Desafiante, eu não saberia responder. Porque eu não tinha pensado sobre isso, mas eu pensei depois. Na realidade, o que acontece, a minha teoria é de que é uma situação de expectativa. A paiN não é só um time, é uma ideia, uma ideia tradicional, por assim dizer. Tradicionalmente se espera muitas coisas da paiN, e principalmente, sucesso. É uma line que está associada a boas conquistas, títulos, sempre boas atuações… Então quando se monta um time novo para a paiN, seja com Yang ou quem for, a expectativa de fora é alta, e dos próprios jogadores e time é muito alta. Então eu vejo que isso é uma pressão interna bem grande, e que os próprios jogadores têm consciência de que eles estão longe do ideal, do que a paiN tem que ser.

Então, no princípio do campeonato, tem mesmo essa dificuldade, mas quando eles se encontram, a confiança de estar nessa organização, que dá tudo o que o jogador precisa e que acredita nele, quando isso se encontra com os jogadores confiantes neles mesmos e no time, aí já é hora do playoff, é a hora que eles se tornam paiN de verdade. É muito complicado porque só estando no time você entende, é uma pressão que faz parte. Se você quer estar na paiN, você sabe que vai ter pressão, não é um time qualquer, não é assim que a org encara, não é assim que ninguém lá encara, não é assim que o cenário encara e nem que a torcida encara. É um peso que faz as coisas girar, mas que bom se conseguimos chegar no playoff, se essa história se cumprir.

Quem vocês enxergam como principal adversário neste 3º turno?

Yang: Com certeza a KaBuM. Eles são um time que está vindo muito forte, eles estão jogando muito bem com vários estilos diferentes, então é a KaBuM.

Djoko: Para mim é a paiN, o próprio time. Eu vejo que, em momentos que conseguimos jogar nosso potencial pleno, ou quando o time está se encontrando, conseguimos jogar de igual para igual com qualquer time, seja com a KaBuM, INTZ ou RDP… Então, claro que a KBM é o adversário que olhamos, mas não adianta só ganhar deles, é muito mais a gente se encontrar como time, se vencer nesse sentido, para irmos bem no 3º turno.

Agora na 4ª colocação, a paiN tem um confronto direto com a Uppercut, 3ª colocada na tabela. A partida será já no próximo sábado (27), enquanto que no Domingo (28), a equipe enfrenta a Team One.