- Publicidade -

Após polêmicas durante a temporada 2019, como a saída de cvMax, o diretor da Griffin, Cho Gyu-nam, renunciou ao cargo. Em comunicado divulgado nesta terça-feira (12), o CEO da Still8, empresa-mãe da organização, Seo Kyung-jong, afirma se sentir responsável pelo que aconteceu e que está procurando a melhor solução.

Confira o posicionamento na íntegra abaixo:

Olá, aqui é o CEO Seo Kyung-jong da Still8.

Gostaria de inclinar minha cabeça em desculpas com todo o meu coração para todas as pessoas nos Esports por termos decepcionado vocês na recente virada de incidentes.

O Still8 se sente muito responsável pela situação e estamos procurando a melhor solução para resolvê-la.

Sendo responsável pela situação atual, o diretor da Griffin, Cho Gyu-nam, renunciou oficialmente.

Ao mesmo tempo, a questão relativa a Kanavi está sendo investigada pela Riot, e Still8 participa seriamente de todas as investigações.

Por fim, aprendendo o que não fazer com esse incidente, a Griffin está reconstruindo a equipe a partir dos fundamentos. Isso é para garantir que esse incidente não aconteça no futuro, refletindo nas críticas para que possamos ficar na frente dos fãs com melhorias.

Mais uma vez, como CEO da Still8, gostaria de me desculpar profundamente pela grande decepção.

Além das desavenças do ex-treinador, cvMax, com o diretor, a Griffin também está passando por outro problema: a organização está sendo investigada pela Riot Games após ser acusada de trabalhar de forma errada o empréstimo do jungler, Seo “Kanavi” Jin-hyeok, à JD Gaming, da China.

Segundo acusou o coach, o ex-diretor da Griffin teria forçado Kanavi a firmar um contrato de cinco anos com a equipe chinesa, algo que compensou financeiramente a organização sul-coreana em um bilhão de Wons, aproximadamente R$ 3,4 milhões.