8 anos depois de dedicar a vida ao League of Legends como jogador, Murilo “Takeshi” Alves está pendurando o mouse e o teclado. No entanto, em entrevista ao Mais Esports, o lendário jogador confirma que continuará no cenário competitivo.

Ainda sem saber onde e em qual posição, Takeshi não quer deixar de estar presenciando a competitividade, e afirma ainda amar “muito o League of Legends, falar de League of Legends” mas não na posição de jogador.

Saturado de estar ali, “toda hora jogando, ‘desvia de skillshot’, ‘ah, qual cooldown?’ Uma hora cansa”, Takeshi escolheu deixar essa rotina diária de treino.

“Eu já não tenho mais a mesma cabeça, a mesma fome de jogo, de jogar 6-8 horas de scrim por dia, chegar em casa e jogar mais 6-10 jogos de soloQ. Eu não tinha mais toda essa fome, toda essa gama”, afirma.

Para chegar à decisão, Takeshi precisou ser honesto consigo. Sem estar com vontade de passar horas treinando, concluiu que jogar sem dar tudo de si, não é a forma que ele considera certo de ser um profissional.

Saudosista, Takeshi lembra do seu auge, na CNB, em 2013-2014. Ele lembra como era sua rotina, ainda no início do cenário nacional, quando passava quase 24 horas jogando.

“Eu lembro de 2013-2014, nas primeiras gaming houses, soloQ das 10 da manhã às 2 da manhã, ia pro hotel conversando de LoL, pensando como íamos ganhar o campeonato. Aquele Takeshi, aquele Murilo, tinha esse sangue no olho muito pesado para jogar LoL e competir”.

Embora confirme que continuará no cenário competitivo, Takeshi ainda não tem definido qual será sua função dentro de um time, e nem qual será.

O que é claro, para o ex-jogador de 26 anos, é não estar mais com vontade de estar ali “dando a cara à tapa”, e sim passar a atuar atrás das câmeras.

“Gosto muito de League of Legends, só que agora não estarei ali, sentado na cadeira, jogando todo dia. Ir mais pro backstage, fazer alguma coisa relacionada ao competitivo, mas não ser alguém que está dando a cara à tapa. Eu meio que cansei, de certa forma. A chama se apagou um pouquinho e decidi parar”, diz.