A KaBuM e-Sports anunciou na tarde desta sexta-feira (3) que Alexandre “Titan” Lima irá substituir Guilherme “Vash” Del Buono no confronto deste sábado (4) contra a Remo Brave. No entanto, Ricardo “BabyMisty” Kawakami foi um dos jogadores procurados pela organização de Limeira (SP) para assumir a mid lane nas próximas rodadas do CBLOL.

O Mais e-Sports recebeu essa informação e conversou com o streamer, que confirmou que foi procurado pela KaBuM e-Sports. Kawakami revelou que declinou o convite da organização por conta das aulas da faculdade e que caso aceitasse a proposta, iria acabar perdendo várias aulas.

“A KaBuM me chamou pelo Facebook para treinar com eles por um tempo e jogar as duas rodadas restantes. Porém, recusei a proposta porque as aulas da minha faculdade começaram e eu iria acabar perdendo muita aula”, disse Kawakami.

O mid laner ainda revelou que financeiramente a proposta feita pela KaBuM o agradou, mas reafirmou que caso aceitasse o convite, iria acabar se prejudicando muito na faculdade. Apesar de estar inscrito como reserva da organização no CBLOL, o jogador disse que não tinha nenhum contrato assinado e que não recebia nada por isso.

Questionado sobre um possível interesse em se tornar jogador profissional, Kawakami afirmou que não tem essa vontade mais e que pretende continuar fazendo streams e com o seu canal no YouTube.

“Eu não tenho mais interesse em me tornar jogador profissional por conta da faculdade. Pretendo continuar fazendo as minhas streams e dando mais atenção para o meu canal no YouTube”, conta o streamer.

Kawakami nunca atuou como jogador profissional, porém sempre se manteve no tier Desafiante na soloQ brasileira. O streamer ficou conhecido na comunidade brasileira de League of Legends por conta das suas publicações cômicas no grupo “Ilha da Macacada” e por ter como seu main o campeão Twisted Fate.

Procurada pelo Mais e-Sports para dar o seu posicionamento sobre a informação, a KaBuM e-Sports, por meio de sua assessoria de imprensa, deu a seguinte resposta:

“A informação não é oficial, portanto, não é confirmada pela organização, responsável por todas as negociações neste sentido”.