A paiN Gaming venceu a CNB por 2-0 neste domingo (18) e o Mais e-Sports conversou com Kami após a vitória de sua equipe contra um famoso rival.

paiN sem reservas

Desde o ano passado a paiN vem trazendo reservas para dentro da Gaming House e investindo em novos talentos. Perguntamos para Kami o que ele acha de sua equipe ser a única que não conta com reservas em todo o CBLOL. Ele responde: “É meio que contra tudo que a gente já fez no passado de buscar tantos reservas e novos talentos. Mas acho que não prejudica. Acho que a gente já aprendeu muito com as mudanças e as experiências que a gente teve desde o ano passado com o Rakin, enfim, a gente teve bastante oportunidade de aprendizado. A gente está levando esse aprendizado com a gente. Infelizmente, ou felizmente, acho que não é o caso… Nós não temos reservas agora e a gente está jogando e aproveitando as forças que a gente tem dentro da equipe. A medida que a gente puder explorar essas forças a gente vai está explorando.”

Evolução da paiN nas primeiras semanas

Kami continua falando sobre a busca contínua de evolução dos jogadores da paiN: “Estamos fugindo um pouco da área ‘só gameplay’ a gente está participando muito mais do Draft. Acho que o jogador ter um conhecimento do plano de jogo também é muito importante. Então, a gente participa muito mais e tem muito mais discussões como time. No fim do dia a gente tem plena convicção que o nosso talento individual é suficiente para ser campeão do CBLOL, então a gente tem que apostar em corrigir os nossos problemas de time, estar todo mundo na mesma página, todo mundo jogando 100%. Porque, tendo essas partes cobertas a gente tem tudo para ganhar esse split.”

Foto: Riot Games

O Mais e-Sports perguntou para Kami se o resultado foi devido à evolução da paiN ou o momento atual que vive a CNB: “Pode ter sido por conta dos dois. No fim do dia não cabe a gente analisar a outra equipe, cabe a gente analisar o que poderíamos ter feito de melhor, o que a gente acertou, o que a gente errou.
E eu fiquei muito contente com os jogos da série. Tirando no início do primeiro jogo contra o CNB a gente teve uns momentos meio turbulentos que acabou fugindo um pouco do planejamento mas logo em seguida a gente já identificou o que precisávamos fazer, o que a gente precisava explorar na partida fazer para garantir a nossa vantagem e a gente soube explorar isso.
No segundo jogo foi super tranquilo, a gente sabia que o Zac iria gankar mid então jogamos pelo outro lado. Passado o momento difícil, a gente passou a fazer play em cima do Jayce porque o Zac não podia gankar com tanta facilidade. Exploramos os nossos pontos fortes, jogamos com a visão e acho que esse tipo de coisa a gente precisa levar até o final do split. Coisa que a gente não fez contra a Red.”

Troca de roles entre Minerva e Wos e Tin afastado

“Antes de jogar contra a CNB a gente analisou muito, tanto que não nos pegou de surpresa o Minerva jogar de suporte e o Wos na jungle. A gente já sabia que é  uma possibilidade real, por conta do que eles estavam treinando na soloQ,” afirma o mid laner.

Foto: Riot Games

Kami explicou também como foi jogar contra Vash e não contra o TinOwns: “Então a questão do Vash e do Tin, muda um pouco o plano de jogo pois acho que são dois jogadores com pontos fortes diferentes. Acho que o Tin é um jogador que tem muita facilidade para pushar mid, ganhar visão, ganhar vantagem em outros lados do mapa. Então ele gosta de dar muito roaming, gosta de sair muito da lane. Coisa que o Vash não faz tanto. O Vash gosta mais de explorar a vantagem que ele cria ali no mid e ficar no mid. Nesse quesito muda um pouco questão de champion pool, muda questão de como vamos executar o nosso plano de jogo,” ele volta a comentar sobre a troca de role dos blumers: “Mas Wos e Minerva, a gente não tinha muito o que esperar, a gente sabia que era uma possibilidade então não valia nem a pena a gente se preocupar. A gente só não queria ser pego desprevenido.”

Principais adversários da paiN Gaming

Para finalizar a entrevista, perguntamos ao jogador quem são os principais adversários da paiN Gaming neste CBLOL. Para Kami, a Red é um time muito forte e a ProGaming ainda vai surpreender muito ao longo do split. Ele finaliza: “Todas as equipes que estavam no topo ainda tem potencial de mostrar muita coisa, muita evolução. Honestamente, a gente como equipe está se preocupando mesmo como a gente pode melhorar para não acontecer o que aconteceu no início do primeiro jogo [contra cnb] que foi um momento onde a gente não estava no controle da situação. Temos que estar no controle do jogo à todo momento.”

Com a vitória contra a CNB, a paiN Gaming está em segundo lugar com 6 pontos. Você confere a tabela e o calendário de jogos na Cobertura do Mais e-Sports. 

Siga o Mais e-Sports nas redes sociais: